Topo

A idosa de 90 anos que é exemplo de energia em corrida de carrinhos em SP

Arquivo Pessoal
Izaura Brandão, de 90 anos, é uma das integrantes do time Marmitex Imagem: Arquivo Pessoal

Bárbara Forte

Do BOL, em São Paulo

2019-04-13T07:22:16

13/04/2019 07h22

Izaura Brandão Burgo gosta de levar a vida de forma animada, com uma rotina recheada de atividades: ela dança, faz academia, caminhada e, mais recentemente, foi convidada para integrar uma equipe de corrida de carrinho de rolimã em uma competição em São Paulo. A idade dela? Noventa anos.

Eu gosto de fazer meu artesanato, gosto de fazer boneca, coruja. Mas também gosto de ir à praia, de pescar, ir ao bingo, e de me movimentar"

Dona Izaura trabalhou em fábrica de roupas, foi empregada doméstica e artesã durante toda a vida. Ela tem dois filhos - uma menina e um menino -, cinco netos e outros cinco bisnetos, e resolveu encarar o novo desafio a partir de um convite do neto Diego.

Arquivo Pessoal
Dona Izaura mostra que tem pique aos 90 anos Imagem: Arquivo Pessoal
Ele e outros três amigos inscreveram-se para participar do Red Bull Ladeira Abaixo, evento que reúne pessoas de todo o Brasil para uma corrida com carrinhos dos mais variados tipos, no centro de São Paulo, neste domingo (14).

A equipe Marmitex é composta por Diego Burgo e outros três amigos engenheiros que viram na competição uma oportunidade de diversão. Embora o time estivesse completo, eles sentiam que ainda faltava algo. "Um dia, minha avó estava passando, enquanto trabalhávamos no carrinho, e perguntamos se ela não tinha interesse em participar da equipe. Ela topou na hora", afirma o neto de dona Izaura.

Eu acredito que o pessoal acha que eu sou muito ativa, muito disposta pela idade que eu tenho. Uma inspiração"

Arquivo Pessoal
Dona Izaura é estrela da equipe Marmitex ao lado de quatro homens Imagem: Arquivo Pessoal
Dona Izaura defende que a idade não pode ser empecilho para as pessoas: "Acho que as mulheres mais experientes devem fazer o que quiserem, não podem ficar dentro de casa. Acredito que elas deviam andar, fazer caminhada, ginástica", afirma.

Animada com a competição, ela não quer ser uma mera participante. "Eu quero vencer, quero que o povo me aplauda. E eu vou me divertir", completa.

Os competidores serão avaliados por um grupo de jurados, que vai considerar não só a velocidade, mas também a criatividade e a performance de cada equipe. Como premiação, o organizador dará ao primeiro colocado uma visita com tudo pago à fábrica da Red Bull Racing na Inglaterra; ao segundo, ingressos para assistir ao GP Brasil de F1, em Interlagos, em novembro; e, ao terceiro lugar, uma camiseta oficial da marca.

Mulheres e a corrida

Dona Izaura não é a única mulher a participar do Red Bull Ladeira Abaixo. Além dela, outras 30 integram equipes da corrida. Entre elas, as meninas da El Crazy Bra, único time composto exclusivamente por mulheres.

"Estaremos em pé de igualdade técnica com os outros competidores, mas tivemos que correr atrás e aprender muita coisa. Diferente de muitos meninos, que são incentivados a criar um carrinho de rolimã quando pequenos, ninguém da equipe tinha essa experiência", explica a terapeuta holística Brenda Araújo, de 37 anos.

O que me motivou foi, além da questão de me divertir, juntar as mulheres e mostrar que a gente também pode brincar"

Arquivo pessoal
Mulheres fazem montagem do carrinho que vai virar um grande sutiã Imagem: Arquivo pessoal
"Com nosso sutiã gigante, queremos justamente chamar atenção e propor uma reflexão sobre a necessidade e a possibilidade de maior participação de mulheres em algumas áreas", conta Brenda ao explicar como será o carrinho.

Ana Beatriz Machado, 21, é outra integrante do grupo feminino da competição. A rapper diz que a corrida ganhou seu coração quando ela descobriu a importância de estar ali. "Saber que somos a única equipe integralmente feminina tornou nossa presença ainda mais importante. A gente se sente feliz e orgulhosa, mas é um dado triste", diz.

"Somos um recorte pequeno, ainda, pois falta informação, conhecimento e incentivo desde a infância. Não temos acesso a este universo, é como se criassem uma caixinha de interesses femininos e outra de interesses masculinos. Se eu tivesse mais contato com carros e mecânica quando era criança, talvez hoje tivesse mais domínio e interesse também", diz Ana.

A mulher costuma olhar para uma corrida, em construir carros e já pensa que não é para ela. Mas isso não faz sentido porque tudo pode ser coisa de mulher"

Arquivo pessoal
Carrinho das mulheres será em formato de sutiã Imagem: Arquivo pessoal
Segundo Ana, apesar da diferença quantitativa entre homens (267 participantes) e mulheres (31 participantes) na corrida, o evento é uma oportunidade que ela e as colegas de equipe têm de defender uma bandeira: "É uma oportunidade maravilhosa. Só de estar ali. Aposto que outras vão se sentir representadas. Para mim, só de estar num lugar como esse, já é um ato político. E vamos concorrer em igualdade, estamos ali para incomodar e para ganhar".

Serviço
Red Bull Ladeira Abaixo
Data: 14 de abril de 2019
Horário: das 9h às 18h
Local: rua da Consolação, São Paulo (SP), próximo à saída do Metrô Higienópolis-Mackenzie
Evento gratuito

Mais Esporte