PUBLICIDADE
Topo

Santos tem queda de produção às vésperas de jogos decisivos

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

18/03/2019 09h38

Tem início nesta semana a fase decisiva do estadual para os clubes paulistas, entre eles o Santos, que ainda briga para garantir a primeira posição no grupo e a melhor campanha da primeira fase, além dos confrontos de quartas de final contra o Red Bull. No entanto, justamente no período que antecede o clímax da competição, o time apresenta seu pior momento na temporada em termos de resultados: poucas vitórias e jogos sem marcar gols.

Conquistar a liderança em sua chave e, principalmente, na classificação geral do Paulista significa ter a vantagem de fazer em casa a partida de volta dos duelos de mata-mata. Assim, a jogo desta quarta-feira, diante do Botafogo-SP, passou a ser decisivo, uma vez que o time santista perdeu a primeira posição do Grupo A para o Red Bull, e está um ponto atrás de seu rival na próxima fase.

Isso porque nas últimas cinco rodadas do estadual o Santos venceu apenas duas vezes, enquanto o Red Bull teve quatro vitórias e um empate. A vantagem que era de quatro pontos foi caindo rodada a rodada, até que as posições foram invertidas e o time campineiro abriu um ponto de distância.

O aproveitamento de 83,3% (5 vitórias e 1 derrota) na primeira metade da competição foi muito superior ao de 53,3% (2 vitórias, 2 empates e 1 derrota) na segunda metade, o que provocou queda no aproveitamento geral, que hoje é de 69,7% dos pontos que disputou. A média de gols também caiu de 2,17 nos primeiros seis jogos do torneio, para 1,2 nos últimos cinco, sequência na qual estão as únicas três partidas em que os santistas saíram de campo sem balançar a rede no campeonato.

Para completar, além de vencer o Botafogo-SP, o Peixe terá de torcer para que o Red Bull não vença o Guarani, já sem chances de classificação e que acabou de demitir o técnico Osmar Loss, em resumo, Sampaoli e seus comandados não dependem só deles para atingirem o primeiro objetivo da semana.

Mas não é só no Paulistão que os resultados ruins têm assombrado a equipe da Baixada. Nesse período de queda também está a eliminação para o River-URU após dois empates na Sul-Americana. Sendo assim, nos últimos oito jogos são apenas três vitórias (Guarani, Oeste e América-RN), quatro empates (River-URU, Palmeiras, River-URU e Corinthians) e uma derrota (Novorizontino).

O aproveitamento geral que era de mais de 85% (6 vitórias e 1 derrota) nos primeiros sete jogos da temporada, foi de 54% nos últimos oito. Sem contar o fato de o time ter terminado metade das partidas dessa sequência sem marcar gols (River-URU, Palmeiras, Corinthians e Novorizontino), algo que ainda não havia acontecido em 2019. Para Luiz Felipe, a explicação pode ser o conhecimento dos adversários sobre a estratégia santista.

"Acho que agora não tem mais como esconder nada, todas as equipes já jogaram muitos jogos, a gente já variou bastante nosso estilo de jogo, com três zagueiros, com uma linha de quatro, com três volantes, com dois, com um. Agora é a gente procurar fazer com que o adversário sofra, a gente sabem que eles vão monitorar, vão ver as nossas dificuldades para aproveitar isso e a gente tem que fazer o mesmo", declarou o zagueiro na última sexta-feira.

O Santos volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h30, para enfrentar o Botafogo-SP, pela última rodada da primeira fase do Paulistão-2019. Já classificado para as quartas de final, o Peixe é o vice-líder o Grupo A.

Confira os números do Santos

PAULISTÃO

Primeiros seis jogos: 5 vitórias e 1 derrota (83,3% de aproveitamento) - 2,17 gols por jogo
Últimos cinco jogos: 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota (53,3% de aproveitamento) - 1,2 gol por jogo
Campanha: 7 vitórias, 2 empates e 2 derrotas (69,7% de aproveitamento) - 1,73 gol por jogo

GERAL

Primeiros sete jogos: 6 vitórias e 1 derrota (85,7% de aproveitamento) - 2,86 gols por jogo
Últimos oito jogos: 3 vitórias, 4 empates e 1 derrota (54,2% de aproveitamento) - 1,37 gol por jogo
Campanha: 9 vitórias, 4 empates e 2 derrotas (68,9% de aproveitamento) - 2,07 gols por jogo

Mauro Beting analisa: "Faltou um camisa 9 para o Santos"

UOL Esporte

Esporte