PUBLICIDADE
Topo

Mattos desconversa sobre Pato: "Temos de falar dos que estão aqui"

Fred Lee/Getty Images
Imagem: Fred Lee/Getty Images

16/03/2019 21h38

Alexandre Pato utilizou suas redes sociais hoje (16) para informar o desligamento do Tianjin Tianhai, da China. O Palmeiras, oficialmente, evita confirmar qualquer interesse no jogador. Alexandre Mattos afirmou que queria só valorizar a vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo, no Pacaembu, embora tenha aceitado falar sobre a venda de Luan Cândido, defendendo-se ao falar do lateral que sairá sem ter atuado no time principal.

Leia mais

"Temos de falar dos jogadores que estão aqui. Vamos valorizar o time que jogou hoje, um clássico difícil, com torcida única adversária. O foco nosso é aqui. Essa coisa de outros jogadores é uma situação que, se acontecer um dia, e não só o Alexandre [Pato], mas qualquer jogador de chega ou saída, comentamos alguma coisa. De outros jogadores que não estão aqui não vamos falar", disse o diretor executivo, avisando, contudo, que não nega qualquer interesse.

"Não foi isso que eu disse [que o Pato está fora dos planos]. Eu disse que não é o momento de falar nada disso. Se um dia o Pato ou qualquer outro jogador vier para o Palmeiras, vamos falar sobre isso. Mas vamos valorizar a vitória", acrescentou Alexandre Mattos.

A vitória, contudo, foi esquecida para falar sobre Luan Cândido. O Palmeiras acertou sua venda ao RB Leipzig, da Alemanha, por 8 milhões de euros (R$ 34,5 milhões) à vista, além de 2 milhões de euros (R$ 8,6 milhões) quando o atleta fizer seu quinto jogo, seja como titular ou reserva. O Palmeiras ainda terá 15% do valor de uma transferência futura do jogador de 18 anos.

"Eu, mais do que ninguém, não quero ficar vendendo menino da base. Não é o certo a se fazer. Odeio isso. O Palmeiras, tradicionalmente, não tinha um projeto de excelência de base. Estamos fazendo esse projeto com muito carinho. Jogar ou não é questão técnica. Isso tudo faz com que a gente peça desculpas ao torcedor, por não estar ainda colocando aquilo que nós mesmos plantamos, já que o projeto é nosso, mas estamos fazendo outro projeto: manter o Palmeiras muito competitivo", explicou Mattos.

"Longe de querer vender o Luan, mas precisamos ter escolhas aqui dentro. A partir do momento em que você faz a manutenção de um time campeão, e isso custa, e tem uma premissa da eleição do presidente Maurício de zerar as dívidas. O Palmeiras R$ 65 milhões executados neste ano e em até dez dias temos de resolver R$ 44 milhões do Wesley. São mais de R$ 100 milhões e não tem problema, vamos pagar. O Palmeiras está se estruturando, pagando, tendo um elenco competitivo, então, em algum momento, para não faltar nem atrasar salário, precisamos equilibrar", continuou o dirigente.

"Estão banalizando o valor: foi a terceira maior venda da história do Palmeiras. O Palmeiras é um time que, se quiserem vir aqui, venham, mas com 3, 4 milhões, como começou a conversa, não vai. Tomara que ele dê muito certo, porque é um menino do bem, e o Palmeiras vai ganhar dinheiro mais lá na frente. E afirmo sem medo de errar: qualquer lateral brasileiro de Série A, titular ou reserva, que receber uma proposta dessas, tenho certeza de que 99,5% dos clubes brasileiros vendem", encerrou.

Esporte