PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Enfim, Palmeiras acerta finalização e vence um clássico nesta temporada

16/03/2019 18h40

Na derrota para o Corinthians, por 1 a 0, e no empate por 0 a 0 diante do Santos, o Palmeiras passou os dois primeiros clássicos da temporada sem vencer graças a erros nas finalizações. Mas foi exatamente em um chute completamente inesperado de Carlos Eduardo para vencer o São Paulo, em sua atuação menos inspirada diante dos principais rivais em 2019.

O Verdão conseguiu três pontos superando um primeiro tempo sofrível, no qual perdeu o meio-campo para o adversário e foi para o intervalo sem ter levado nenhum perigo ao goleiro Tiago Volpi. O jogo mudou quando o técnico Luiz Felipe Scolari surpreendeu ao tirar Borja e escalar Carlos Eduardo no segundo tempo. Acabou colocando em campo o herói do Choque-Rei.

O chutaço de Carlos Eduardo, que bateu no travessão antes de entrar, aos 34 minutos do segundo tempo, era inimaginável pelo que se viu na etapa inicial. Moisés teve atuação com raros acertos e ninguém do Palmeiras conseguia impedir que Hernanes controlasse a partida. Só o lateral-esquerdo Victor Luis conseguia controlar Antony e fechar as jogadas rivais pelos lados.

A atuação de Moisés comprometeu diretamente o desempenho ofensivo de um time que tem potencial, mas ainda não conseguiu mostrar toda a criatividade que se espera. Dudu, Ricardo Goulart e Gustavo Scarpa estavam bem marcados, e Borja não soube aproveitar nas raríssimas oportunidades em que a bola chegou a ele.

O Verdão voltou do intervalo com ânimo diferente, e um ataque mais móvel com Carlos Eduardo atuando como referência na frente inicialmente. Nos primeiros 15 minutos de segundo tempo, o time criou muito mais do que na etapa anterior. E passou a ganhar divididas, equilibrando o duelo no meio-campo e fazendo o São Paulo se enervar.

Coube a Carlos Eduardo, que personificou os erros de finalização contra o Corinthians ao perder chance clara, definir o primeiro clássico com vitória do Palmeiras em 2019. Saiu da ponta e arriscou de antes da meia-lua. Uma bomba para que ele e o próprio Palmeiras tirassem de si o peso em clássicos no ano.

No momento do gol, Felipão já tinha colocado Bruno Henrique no lugar de Moisés. Mais inspirado, Bruno pôde implantar seu estilo de jogo para controlar a partida e deixar o Palmeiras sem correr riscos, dando ao São Paulo a bola, mas sem espaço nem condição psicológica de buscar algo.

A vitória veio em um momento importante, na penúltima rodada da primeira fase do Campeonato Paulista. O Palmeiras garantiu a classificação para as quartas de final e, a partir das semifinais, a tendência é pegar clássicos. Custará mais caro entrar com um ânimo inferior ao do rival, como ocorreu no primeiro tempo. E ainda será necessário criar mais e, principalmente, finalizar melhor. Chutes como os de Carlos Eduardo neste sábado são raros.

Esporte