Topo

São Paulo x Palmeiras coloca em lados opostos amigos Mancini e Felipão

Fernando Santos/Folhapress
Luiz Felipe Scolari e Vagner Mancini se cumprimentam em jogo do Palmeiras contra o Guarani em 2010 Imagem: Fernando Santos/Folhapress
do UOL

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

2019-03-15T04:00:00

15/03/2019 04h00

O clássico das 16h30 de amanhã, no Pacaembu, coloca em lados opostos dois velhos conhecidos na 11ª rodada do Campeonato Paulista. Vagner Mancini, técnico do São Paulo, e Luiz Felipe Scolari, do Palmeiras, trabalharam juntos no século passado e escreveram seus nomes na história do Grêmio. Por isso, a ligação continua até hoje.

"Tenho boa relação com o Felipão. Ele foi meu treinador no Grêmio. Quando possível, nós mantemos contato", disse Mancini.

Quando dirigia o Grêmio, em 1995, Felipão pediu a contratação do então jogador. Durante a campanha da Copa Libertadores, Mancini havia começado o torneio como titular. Depois, por causa de lesão, perdeu espaço para Arilson. Ainda assim, pôde participar da campanha do título.

Mesmo de longe, o carinho ainda existe. Quando Felipão era o técnico da seleção portuguesa e Mancini foi assumir o Grêmio, em dezembro de 2007, o pentacampeão rasgou elogios ao antigo pupilo. Na ocasião, o treinador acreditava no sucesso do ex-jogador e até vislumbrava a possibilidade do resgate da espírito do time campeão da Libertadores. Porém, por causa de problemas internos, mesmo com o time invicto, Mancini perdera o emprego já em fevereiro de 2008.

Anos mais tarde, os dois cruzaram caminho mais algumas vezes. Já como técnico do Guarani, em 2010, por exemplo, Mancini recebeu até dicas do pentacampeão mundial, que na época comandava o Palmeiras.

"Nós conversamos porque tenho o prazer de dizer que o Vagner é meu amigo, foi meu jogador e gosto muito dele. Conversamos sobre esquema de jogo, esquema tático e eu disse a ele que só resta uma alternativa [na época usar jovens da base]", disse Felipão, em 2010, sobre o papo com o colega.

Agora, eles terão mais uma vez a oportunidade de colocar a conversa em dia. Porém, quando a bola rolar no Pacaembu, será cada um defendendo o seu lado.

Mais Esporte