Topo

Levir desabafa sobre má fase do Atlético-MG: "Vocês não têm muito acesso"

Bruno Cantini/Atlético-MG
Levir Culpi, treinador do Atlético-MG, fala sobre má fase na Copa Libertadores Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG
do UOL

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-03-15T17:35:20

15/03/2019 17h35

Levir Culpi desabafou sobre o mau momento do Atlético-MG na Copa Libertadores. O treinador concedeu entrevista coletiva na tarde de hoje, na Cidade do Galo, e falou sobre o tema. Ele ainda disse que a imprensa não sabe o que se passa no dia a dia do clube.

"Existe uma diferença muito grande entre o apelo da imprensa e da torcida com a realidade das coisas. Vocês da imprensa, os torcedores, vocês tem um acesso muito pequeno. O mundo de vocês é muito pequeno. Vocês não entendem o que funciona, como funciona a coisa lá dentro. Quem não jogou futebol tem uma dificuldade maior ainda. Quantas vezes vocês já passaram por jogos em que o time jogou maravilhosamente bem e perdeu? Quantas vezes nós jogamos muito mal e vencemos?", indagou.

O Galo ocupa a quarta posição do Grupo E da Copa Libertadores, sem pontuar, enquanto Nacional e Cerro Porteño têm seis pontos nas primeiras colocações. Em má fase no torneio, o treinador dispara:

"Depois que você consegue passar desse tiroteio, que você mantém uma base, uns nove jogadores mais ou menos, aí todo mundo reconhece: 'Ah, o time está organizado, o time está bem'. Mas você passou por um tiroteio. Isso não existe. Você tem que aguentar jogador jogando mal. Se o cara é bom jogador, daqui a pouco ele encaixa. Você tem que aguentar jogador que não joga bem também. As pessoas simplesmente não entendem, porque acham que é isto: 'Ah, o cara é bom e ganha muito, e tem que pôr (no time). Jogou mal? Tem que tirar. Jogou bem? Tem que pôr'. Não é essa a lógica do futebol, não funciona assim. Não funciona assim, e vocês sabem disso. Então, é preciso dar continuidade para todos", comentou.

Na última terça-feira, quando o Galo perdeu para o Nacional, do Uruguai, Levir se irritou com a imprensa por conta das perguntas. O treinador explisou o tom na conversa com os jornalistas. "Quando eu vou ao velório, não faço piada. É isso".

Mais Esporte