Topo

Mattos fala em pressão insana no Palmeiras: 'Se perde, é Guerra Mundial'

Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Diretor reclamou de pressão que considera exagerada por mostrar bom futebol Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
do UOL

Do Lancepress!

2019-03-14T16:12:07

14/03/2019 16h12

A recente cobrança para que o Palmeiras jogue bem, mesmo em resultados importantes como estrear na Libertadores vencendo o Junior Barranquilla por 2 a 0, na Colômbia, não surpreendem Alexandre Mattos. O diretor executivo de futebol chega a classificar a pressão como 'insana" diante dos investimentos feitos nos últimos anos no clube que ganhou recentemente os Campeonatos Brasileiros de 2016 e 2018 e a Copa do Brasil de 2015.

"Se o Palmeiras empata, falam que precisa tirar 30 jogadores de lá. Se perde, é Segunda Guerra Mundial. Se ganhar dando espetáculo, é obrigação. A cobrança é insana. Qual é o limite? Só a Libertadores serve? O problema é que só um ganha", comentou o dirigente ao SporTV.

"O Palmeiras deve ser um dos protagonistas, que é o que temos feito nos últimos anos. É isso que exigimos. Quando você faz o seu melhor e enxerga que todos estão fazendo o seu melhor, chega em casa, coloca a cabeça no travesseiro e pensa: perdemos, mas fizemos o nosso melhor", completou.

O Palmeiras lidera o seu grupo no Campeonato Paulista, só precisa de dois pontos nas duas últimas rodadas para se garantir nas quartas de final da competição e, na Libertadores, acumula 100% de aproveitamento, já que venceu o Melgar, do Peru, na terça-feira, por 3 a 0. Para Mattos, uma indicação de que o trabalho tem sido bem feito.

"Se fiz todo o possível e, mesmo assim, não aconteceu, fico pê da vida pelo resultado que não veio e procuro melhorar para que venha. Mas sei que foi feito todo o possível dentro do que podia", explicou o diretor.

"Existe um futebol interno e externo, que avalia de acordo com resultado ou produção. O que fazemos internamente mesmo as pessoas que entendem de futebol não veem porque não estão lá dentro. E não são todos os jogadores que darão certo", finalizou.

Mais Esporte