PUBLICIDADE
Topo

Ultras do PSG vão a treino e xingam jogadores após queda na Champions

10/03/2019 18h45

O PSG voltou a treinar neste domingo após a eliminação da Liga dos Campeões para o Manchester United, na última quarta-feira. A atividade foi acompanhada por cerca de 500 ultras - autorizados pelo clube -, que vaiaram os jogadores. De acordo com um fotógrafo da AFP, bombas e insultos foram ouvidos de dentro do Parque dos Príncipes.

Com os ânimos acirrados, os brasileiros Thiago Silva e Marquinhos, segundo o jornal "AS", fizeram contato com os torcedores através de um microfone. No entanto, o jornal francês "Le Parisien" diz que a tentativa foi em vão, com os pedidos de desculpas sendo encobertos por insultos.

O principal alvo dos ultras do PSG foi o meia Rabiot, que está afastado dos jogos por não ter aceitado a renovação de contrato e deixará o clube ao fim da temporada. O meia foi visto em uma boate após a derrota para o Manchester United por 3 a 1, que tirou a equipe da Champions.

Por outro lado, Cavani foi ovacionado pela torcida. O uruguaio, que estava lesionado, entrou no decorrer do jogo diante dos Red Devils. Já Neymar, em recuperação de fratura no pé, não esteve na atividade, uma vez que está no Qatar para revisão da lesão.

Os ultras só foram autorizados a entrar no Parque dos Príncipes por serem sócios do clube, uma vez que a atividade foi fechada ao público em geral e à imprensa.

Na última sexta-feira, a maior torcida organizada do PSG (a Collectif Ultras Paris) já havia emitido uma nota contra a queda precoce na competição continental. No texto, os torcedores escreveram: "Voltamos a ser a piada da Europa! (...) Comprem culhões ou se mandem daqui!".

A eliminação do Manchester United, em pleno Parque dos Príncipes, foi ainda mais doída pelas circunstâncias da partida. No jogo de ida, o PSG havia vencido por 2 a 0, em Old Trafford, e tinha grande vantagem. Mas levou um gol de Rashford nos acréscimos e acabou perdendo em casa por 3 a 1.

Esporte