PUBLICIDADE
Topo

Diego Souza explica escolha pelo Botafogo, 'esquece' rivais e diz: 'Vim pelo projeto ambicioso'

09/03/2019 12h01

Pouco antes de festejar com a torcida presente em frente à sede de General Severiano, Diego Souza concedeu a sua primeira entrevista coletiva como jogador do Botafogo e, ao fim das respostas, assinou o vínculo de empréstimo até o fim do ano. E o evento foi digno a uma recepção de estrela, no salão nobre da sede alvinegra e com a presença de dez sócios-torcedores.

Na manhã deste sábado, Diego Souza recebeu a mística camisa 7 e, em seguida, apontou os fatores que pesaram para a sua escolha ter sido o Glorioso. Motivado, o atleta de 33 anos afirmou ainda que já conversou com o técnico Zé Ricardo e que veio para atuar como centroavante - o que supre a carência no atual elenco.

- O que mais pesou foi o projeto que o Botafogo me mostrou, é ambicioso. É um time aguerrido, que está criando uma identidade boa e quero fazer parte, agregar, ajudar. Desde quando surgiu a possibilidade de vir para o Botafogo, vejo o carinho do torcedor comigo e isso não tem preço. A redes sociais aproximam bastante. Fico feliz pelo carinho, por estar vestindo essa camisa, vou fazer de tudo, não vou medir esforços, para transformar esse carinho em gols e vitórias - disse.

- Já conversei com o Zé (Ricardo, técnico) sobre o posicionamento e venho para assumir essa responsabilidade (de fazer gols). Vou procurar fazer bem essa função. Chego para agregar e motivado - completou o atleta.

Diego Souza também comentou a respeito de sua passagem pelo São Paulo, quando salientou que não ficou rancor ou algo do tipo em relação ao Tricolor.

- Ano passado foi um ano bom, fui o artilheiro do São Paulo. Em 2019 as coisas não aconteceram da melhor maneira para o São Paulo. Até porque eu não joguei muito. Todo ano da minha carreira o final é sempre muito proveitoso. Fico tranquilo porque sei do meu potencial. É um recomeço maravilhoso. Não estou aqui para provar nada, venho para agregar, ajudar, jogar meu melhor futebol e trazer alegria para a torcida. Não tem preço ver o torcedor feliz com a sua chegada. É um combustível para querer entrar em campo o mais rapidamente possível.

Por fim, o novo reforço do Botafogo, que já atuou nos outros três grandes clubes do Rio, e foi campeão, ignorou as passagens pelos rivais cariocas.

- Eu não quero saber dos outros times que eu joguei no Rio, hoje eu estou no Botafogo e é isso que importa. Eu só penso no Botafogo.

Esporte