PUBLICIDADE
Topo

Relembre grandes conquistas das Seleções femininas no esporte

08/03/2019 08h10

Além da luta diária, as mulheres também podem se sentir representadas no esporte. Neste 8 de março, quando se comemora o "Dia Internacional da Mulher", o LANCE! apresenta as principais conquistas nos esportes coletivos ao longo da história.

Vôlei, futebol, basquete, handebol e ginástica artística são os principais esportes que as mulheres tentam se destacar para crescer a cada dia. Mesmo com as dificuldade e preconceitos, há sempre um fio de esperança para conseguir se sobressair. Confira abaixo abaixo a lista dos êxitos das brasileiras.

HANDEBOL

O título mundial ainda parece está na mente de quem participou da competição. Em 2013, na Sérvia, na Arena de Belgrado - para ser mais preciso - com mais de 20 mil pessoas -, a Seleção Brasileira de Handebol viu o seu primeiro título do Campeonato Mundial do esporte ao vencer a anfitriã Sérvia por 22 a 20.

Além de conquistar o campeonato pela primeira e única vez na história, a Seleção venceu o torneio de forma invicta, ou seja, não perdeu nenhum duelo em quadra.

Primeira fase (Grupo B):

Brasil 36 x 20 Argélia

Brasil 34 x 21 China

Brasil 25 x 23 Sérvia

Brasil 24 x 20 Japão

Brasil 23 x 18 Dinamarca

Oitavas: Brasil 29 x 23 Holanda

Quartas: Brasil 33 x 31 Hungria

Semifinal: Brasil 27 x 21 Dinamarca

Final: Brasil 22 x 20 Sérvia

GERAÇÃO DE OURO

No basquete, a Seleção Brasileira também busca conquistar bons resultados na história. De forma invicta, o Brasil, que era comandado por Hortência e conhecido como "Geração de Ouro", foi campeão diante dos Estados Unidos por 111 a 87, no Campeonato Mundial da Austrália, em 1994. Até o momento, a Seleção não conseguiu ter o mesmo feito. A partir da principal conquista, viu o ouro escapar muitas vezes pelas mãos. Anos antes, 1971, o Brasil chegou em terceiro lugar.

Em contrapartida, a Seleção Brasileira comemorou três vezes o ouro nos Jogos Pan Americanos. Em 1967, 1971 e 1991, a equipe brasileira alcançou o lugar mais alto do pódio. Nos últimos anos, o time segue com jejum de títulos.

NOS GRAMADOS...

A Seleção Brasileira de futebol feminino segue em busca do crescimento. Suas maiores conquistas até o momento são as medalhas de ouro conquistadas nos Jogos Pan-Americanos de 2003, em Santo Domingo, e República Dominicana, Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio de Janeiro e no Pan de 2015 realizado em Toronto, Canadá.

Em 2007 no Rio de Janeiro, as brasileiras conquistaram o bicampeonato da competição com uma campanha perfeita e exemplar: venceu todos os seus jogos; teve o melhor ataque do campeonato, com 33 gols; a defesa menos vazada, com nenhum gol sofrido e ainda, teve a artilheira e melhor jogadora do campeonato, Marta, com 12 gols marcados.

Pela Olimpíada, em 2016, quando foi realizada no Rio de Janeiro, a Seleção não comemorou o tento. A equipe perdeu para o Canadá por 2 a 1, na disputa pelo terceiro lugar e amargou a quarta posição.

BICAMPEÃS NO VÔLEI

O Brasil sagrou-se bicampeão olímpico no vôlei feminino, em 2012, Londres. As meninas da Seleção Brasileira venceram os Estados Unidos por 3 a 1 na decisão, com as parciais de 11/25, 25/17, 25/20 e 25/17. A equipe repetiu o placar da final, em Pequim (2008), onde ganhou das próprias americanas.

Depois disso, em 2016, o Brasil viria ser escolhido para sediar a Olimpíada, mais precisamente, no Rio de Janeiro. Com isso, o destaque para as brasileiras foi notoriamente visto. Apesar da grande atuação nas fases iniciais, a Amarelinha caiu nas quartas de final contra a China, que viria a ser campeã pela competição olímpica. Além das duas medalhas de ouro (08 e 12), a Seleção conquistou duas de bronze (96 e 00) e dois quartos lugares (92 e 04). Agora, o foco está em Tóquio-2020.

BONS VENTOS...

As brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze conseguiram conquistar uma suada medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Rio-2016. Elas ficaram na primeira colocação da regata da medalha da classe 49erFX, realizada na raia do Pão de Açúcar da Baía de Guanabara e terminaram com 48 pontos na competição olímpica. O pódio ainda teve a Nova Zelândia com a prata e as dinamarquesas com o bronze.

Dois anos depois, a dupla disputou o Campeonato Mundial de Vela e não decepcionou. Elas conquistaram o ouro, em Enoshima, no Japão, em disputa válida também como teste para os Jogos Olímpicos de 2020.

DESTAQUES

A Ginástica Brasileira tem motivos para sorrir com o Pan-Americano de 2007, que aconteceu no Rio de Janeiro. Com Jade Barbosa, Daniele Hypolito, Daiane dos Santos, Lais Souza, Ana Cláudia Silva e Khiuani Dias, a Seleção Brasileira da modalidade conquistou a medalha de prata na competição - uma das melhores até então.

Quatro temporada antes, pelo Campeonato Mundial, em Anaheim, na Califórnia, a brasileira Daiane do Santos fez um feito inédito. No solo, ela conquistou a primeira medalha dourada para a equipe amarelinha na história do esporte brasileiro.

PELAS AREIAS

Nas areias, o vôlei também fica encaixado. Jackie Silva e Sandra Pires ficaram reconhecidas pelas boas atuações em quadra. As duas faturaram a medalha de ouro no Campeonato Mundial, em Los Angeles, em 1997. No ano antes, em Atalanta, a mesma dupla conquistou o melhor lugar no pódio nos Jogos Olímpicos.

ESTREIA NA OLIMPÍADA

A Seleção Brasileira Feminina de Rugby Sevens estreou na competição mais importante da sua história: os Jogos Olímpicos Rio 2016. A capitã do time, Paula afirmou que foi uma oportunidade única.

- Os Jogos Olímpicos representam a oportunidade única de mostrar a paixão que temos por esse esporte e todos os valores que ele nos agrega dentro e fora de campo. Temos a chance de jogar em casa e apresentar aos brasileiros o quanto o rugby pode ser um esporte democrático, onde cada um pode usar das suas melhores habilidades e ajudar o time a evoluir dentro de campo - afirma Paula Ishibashi.

Apesar de entrar para história, a equipe não conseguiu avançar às quartas de final da competição e tiveram que se contentar com a oitava posição após primeira vitória na competição contra o Japão por 26 a 10.

TÁ NA HISTÓRIA

No Atletismo há muito tempo o Brasil revela talentos. Um dos primeiros nomes a alcançar nível internacional foi Elisabeth Clara Muller, que disputou a Olimpíada de Londres-1948. Em 1964, Aída dos Santos foi a quarta colocada no salto em altura, melhor desempenho olímpico de uma brasileira por mais de três décadas.

Em Pequim-2008, Maurren Maggi foi campeã do salto em distância e tornou-se a primeira brasileira a conquistar um título olímpico em evento individual. Fabiana Murer foi campeã do salto com vara tanto no Mundial Indoor, em Doha-2010, como no Mundial de Atletismo, em Daegu-2011.

Em 2012, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) publicou o livro "Mulheres no Pódio", onde conta a história do esporte feminino no País e das suas principais expoentes.

Esporte