PUBLICIDADE
Topo

Entenda por que o PSG convive com trauma na Liga dos Campeões

08/03/2019 18h16

A rotina segue ingrata. O Paris Saint-Germain não conseguiu exorcizar o fantasma das oitavas de finais da Liga dos Campeões e foi novamente eliminado na mesma fase, pela terceira edição consecutiva da competição. Assim, o time francês segue distante de conquistar o maior objetivo colocado pelos donos do clube.

Novamente sem Neymar em campo, o PSG, desta vez, foi eliminado dentro de casa, após ter aberto dois gols de vantagem no jogo de ida na Inglaterra, e tomou a virada do Manchester United, com uma atuação ruim de algumas peças importantes e falhas defensivas.

Por conta deste cenário, o Paris Saint-Germain novamente abriu discussões mundo afora sobre quais seriam os motivos do fraco desempenho no torneio mais importante que disputa, no qual mora o maior objetivo desta fase multimilionária do clube. Curiosamente, a melhor campanha da história dos franceses na Champions League foi em 1994/95, quando foi eliminado pelo Milan nas semifinais. O LANCE! lista os possíveis motivos dos 'fracassos parisienses'.

PESO DA CAMISA?

O Paris Saint-Germain não é um dos clubes mais tradicionais do cenário do futebol europeu. Por conta do dinheiro investido no clube pelo sheik árabe Nasser Al Khelaïfi, o clube ficou em evidência e passou a ser colocado como um dos favoritos para a conquista dos título da Liga dos Campeões.

Entretanto, um dos fatores que mais são colocados para o fracasso o time francês é a falta de tradição e de costume a grandes jogos em nível europeu, como a maioria de seus rivais. Muito por isso, as últimas eliminações do PSG foram para Manchester United, Real Madrid e Barcelona.

FALTA DE COMPETITIVIDADE NO CAMPEONATO FRANCÊS

Muito acima tecnicamente e financeiramente dos outros clubes, o Paris Saint-Germain sobra e nada de braçada no Campeonato Francês. Por conta disso, as partidas do PSG na Ligue 1 mostram a disparidade e a tabela confirma, já que o time da capital francesa tem 17 pontos de diferença para o vice-líder, com um jogo a menos.

Para efeito de comparação, em apenas 26 jogos disputados, o PSG tem 71 pontos conquistados, 23 vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Com um nível abaixo, a dificuldade com os jogos grandes nas competições europeias também mostram que o clube francês não está acostumado a enfrentar clubes de nível igual ou superior.

EFEITO PSICOLÓGICO

Mesmo com a disparidade frente aos adversários na liga francesa, o Paris Saint-Germain já mostrou que tem dificuldades para conseguir segurar resultados perante uma situação que começa a se tornar adversa.

Talvez por falta de costume a grandes decisões, o time francês sucumbiu ao Barcelona de forma inacreditável na edição de 2016/2017 levando um 6 a 1, após vencer por 4 a 0 na ida, dentro de casa. Nesta semana, novamente, por falhas defensivas e por falta de atenção, o PSG foi eliminado mesmo após abrir boa vantagem no confronto.

FATOR NEYMAR

Nas duas últimas edições da Liga dos Campeões, além de uma eliminação nas oitavas de finais, houve outra coincidência: a ausência de Neymar, principal jogador da equipe, por conta de uma lesão sofrida durante uma partida do Campeonato Francês.

Referência técnica da equipe, o brasileiro em 2018 aparecia como um dos melhores jogadores da competição e ficou de fora justamente entre os jogos com o Real Madrid. Já em 2019, não jogou os dois jogos com o United por causa da lesão no quinto metatarso do pé direito.

FALTA DE ESTILO DE JOGO

Nesta fase rica e cheia de craques, o Paris Saint-Germain sofreu com algumas mudanças drásticas de estilo de jogo. Desde que o clube passou a ser um dos mais ricos do mundo, o PSG teve quatro treinadores diferentes (Carlo Ancelotti, Laurent Blanc, Unai Emery e Thomas Tuchel).

Por conta de tantas mudanças de mentalidade técnica, de estilos de jogo e de tantos jogadores, o time francês não conseguiu criar uma identidade e desde então sofre com as diferenças de postura de uma temporada para outra. Com isso, os jogadores demoram para se adaptar e taticamente, a equipe fica vulnerável perante a clubes mais acostumados com certa tática ou estilo de jogo.

CRAQUES QUE NÃO DECIDEM?

Primeiro grande nome da 'era Nasser Al-Khelaïfi', Zlatan Ibrahimovic foi um dos craques que não conseguiu fazer com que o Paris Saint-Germain fizesse uma grande campanha na Liga dos Campeões, título que o próprio sueco, em toda sua carreira, não conseguiu conquistar.

Atualmente, com um elenco recheado de craques, o clube francês seguiu a ver navios na competição mais importante do continente, sem que seus grandes nomes fizessem algo diferente para mudar seu destino. Nesta semana, Buffon, com uma falha, e Mbappé, com um gol perdido, foram os principais destaques negativos da eliminação frente ao United.

Esporte