PUBLICIDADE
Topo

Em jogo de reviravolta, Náutico ganha do Sampaio Corrêa e segue vivo na Copa do Nordeste

07/03/2019 20h56

Um dos claros exemplos de como o futebol é dinâmico acabou sendo aplicado no duelo pelo Nordestão no estádio dos Aflitos entre Náutico e Sampaio Corrêa. Se até os 29 minutos o time maranhense parecia estar mais seguro em campo, tudo mudou rapidamente para uma vitória por 2 a 1 do Timbu que poderia ter sido com saldo bem mais largo.

Nesse momento, o time comandado por Márcio Goiano subiu para a sexta colocação do Grupo B com oito pontos enquanto a Bolívia Querida amargou sua quarta derrota no torneio, algo que mantém o time do Maranhão no penúltimo lugar do Grupo A com somente um ponto.

SE NÃO É A ZAGA...

Aos quatro minutos de jogo, quando ainda era possível ver parte do público chegando ao estádio do time pernambucano, em cruzamento rasteiro vindo do lado esquerdo da grande área a zaga do Náutico fez o corte em cima da hora com o volante improvisado de lateral Josa quando o avante Eloir ficaria em ótimas condições de finalizar.

DEMOROU, MAS CONSEGUIU CRIAR

A equipe da casa sofria com seus próprios erros de passe principalmente no terço final de campo, algo que inclusive proporcionava mais calma e espaços para o Sampaio sempre ter a bola nos pés e condições de sair em velocidade. Porém, aos 15 minutos, Jorge Jiménez foi mais esperto que o meio-campo adversário e colocou Robinho "na pinta" para bater em gol. Mas o camisa 7 se enrolou com a bola e viu seu chute mascado ir pela linha de fundo.

SEM PERDÃO E COM ESTILO

Na primeira bola que o camisa 9 da Bolívia Querida (Maxuell) recebeu com relativa liberdade na beira da grande área, ele foi muito bem ao dominar de pé direito e encher o pé com a esquerda. Bruno até pulou, porém sem qualquer possibilidade de defesa.

BASTA UM LANCE...

?

Precisando furar o bloqueio do ajustado na defesa Sampaio Corrêa, foi em um equívoco na saída de bola adversária que saiu a igualdade do Timbu. Após corte parcial da zaga maranhense, o lateral-direito Hereda acertou um petardo em diagonal onde Rodrigo Carvalho até alcançou, mas não evitou o tento que levantou as arquibancadas do estádio dos Aflitos.

... PARA MUDAR TUDO!

Se o empate do Alvirrubro veio aos 29, a situação ficou ainda mais interessante logo dois minutos depois quando o lateral-esquerdo Patric chegou fazendo falta com um duro carrinho em cima do atacante Thiago que tentava puxar contra-ataque. Tomando o segundo amarelo e consequentemente o vermelho, o Sampaio teria de lidar com todo o restante do confronto tendo um homem a menos.

Ainda houve tempo para Jiménez e Luiz Henrique tentarem boas finalizações, mas Rodrigo Carvalho apareceu para, pelo menos, manter a igualdade até o apito final do intervalo.

COM CALMA VAI!

Três minutos. Depois de tanto martelar no tempo inicial, foi isso que precisou o Náutico na etapa complementar para desempatar o placar dos Aflitos. Na primeira participação do estreante Danilo Pires, ele deu bom passe para Odilávio dominar e rolar para Robinho, batendo bem, mandar no ângulo de Rodrigo Carvalho.

COMEÇOU A SOBRAR

O gol foi emendado pelo Timbu com uma verdadeira "blitz" por parte dos anfitriões onde, em pelo menos quatro lances, a equipe encurralou os atuais campeões do Nordestão. Se não fosse a zaga com cortes providenciais além de boas defesas de Rodrigo Carvalho, o marcador na cidade de Recife poderia tranquilamente ter sido construído com larga dianteira.

ENTREGUE

Em situação difícil na temporada, todo o peso do momento negativo parece ter se abatido no time do Sampaio Corrêa. Era nítida na expressão dos jogadores e na falta de alternativas para mudar o panorama do jogo que a questão estava resolvida, restando somente o apito derradeiro para se confirmar a importente vitória do Náutico.

Esporte