PUBLICIDADE
Topo

Mangueira é a campeã do Carnaval

06/03/2019 21h17

Com notas dez de 33 dos 36 jurados (descartando o 0,1 perdido na pior nota em três quesitos, Alegorias, Enredo e Fantasia , garantindo pontuação máxima), a Mangueira sagrou-se a campeã do Desfile das Escolas de Samba do Rio, com 270 pontos, superando Unidos do Viradouro, Vila Isabel, Portela, Salgueiro e Mocidade Independente. Todas elas voltarão para o desfile das campeãs no sábado.

A vitória mangueirense era esperada, tendo em vista que a escola apresentou o melhor samba-enredo, o tema era criativo (História para ninar gente grande os heróis esquecidos nos livros de história) e o desfile foi luxuoso e sem erro. Este foi o 20 título da Mangueira (alguns especialistas não consideraram dois títulos, 1949 e 1950, quando desfilou numa liga dissidente).

Imperatriz caiu. Beija-Flor, quase

Já a Imperatriz Leopoldinense, que apresentou muitos problemas com seus carros alegóricos, acabou sendo rebaixada juntamente com o Império Serrano (única escola que não ganhou uma nota 10 sequer). Outra posição decepcionante foi a da campeã de 2018, a Beija-Flor, ficou apenas em 11 lugar, pior colocação desde 1976, quando ganhou o primeiro título. Vale citar que foi o primeiro desfile da Beija-Flor após a saída de Laíla, seu mítico diretor de Carnaval e que agora está na Unidos da Tijuca.

A apuração

O sorteio colocou Evolução e Harmonia como os dois primeiros quesitos a serem julgados. Mangueira começou dividindo o primeiro lugar com Viradouro e Mocidade, porém, a escola de Padre Miguel começou a cair a partir da harmonia. Após a divulgação de Alegoria se Adereços, quando a Viradouro perdeu 0,1 de dois jurados e pode descartar apenas uma dessas notas, a Mangueira passou a reinar absoluta, para alegria das centenas de torcedores que compareceram à apuração no Sambódromo e os milhares que acompanhavam na quadra da escola e esperavam apenas a confirmação do título, que veio após o terceiro jurado do último quesito, fantasia.

Classificação final

1º - Mangueira 270 pontos (campeã)

2º - Viradouro 269,7 (vai para o Desfile das Campeãs)

3º Vila Isabel 269,4 (vai para o Desfile das Campeãs)

4º Portela 269,3 (vai para o desfile das Campeãs)

5º Salgueiro 269,3 (vai para o desfile das Campeãs)

6º Mocidade 269 (vai para o Desfile das Campeãs)

7º Unidos da Tijuca 268,8

8º Paraíso do Tuiuti 268,5

9º Grande Rio 267,9

10º União Ilha 267,7

11º Beija-Flor 267,6

12º São Clemente 267,4

13º Imperatriz Leopoldinense 266,6 (rebaixada)

14º Império Serrano 263,8 (rebaixado)

Polêmica dos 20 títulos

A Mangueira festejou ontem o seu título de número 20. Mas alguns historiadores consideram que, efetivamente a escola ganhou 17. Os outros três da lista são mais polêmicos . Veja, as duas situações para isso:

1 - em 1948, a escola se desentendeu com a Liga oficial e entre 1949 e 1951, disputou o desfile numa liga independente, sendo campeã em 1949 e 1950 (o Império venceu o oficial).

2 - O outro fato ocorreu em 1984. Aquele foi o primeiro ano do Sambódromo e ficou definido que os campeões seriam os vencedores dos dois dias de desfile. Deu Mangueira e Portela. No sábado, os três primeiros colocados de cada dia voltaram a desfilar, valendo pontos. A Mangueira venceu e foi proclamada supercampeã.

.

Os títulos da Mangueira

1932, 1933, 1934, 1940, 1949 (Liga independente, com Império Serrano campeão da Liga Oficial), 1950 (Liga independente, com Império Serrano campeão da Liga Oficial), 1954, 1960 (dividido com Portela, Salgueiro, Império Serrano e Unidos da Capela), 1961, 1967, 1968, 1973, 1984 desfile de domingo), 1984 (supercampeonato do 1 desfile do Sambódromo, atual desfile das campeãs), 1986, 1987, 1998 (dividido com a Beija-Flor), 2002 , 2016 e 2019.

Estácio campeã do Grupo de Acesso

O enredo sobre o Panamá e a presença do atacante da seleção centro-americana Blas Pérez como destaque num dos carros alegóricos deram sorte e a Estácio de Sá foi a campeã do Grupo de Acesso. Com isso, a escola volta à elite em 2020 (estava fora desde 2016).

A escola mais antiga do Carnaval do Rio, campeã do desfile principal em 1992 (com o histórico enredo "Paulicéia Desvairada") disputou o título cabeça a cabeça com a Acadêmicos da Cubango (de Niterói), que lutava para conseguir o acesso pela primeira vez. Já a Alegria da Zona Sul foi rebaixada.

Esporte