PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Sucessor de Godín e universitário: quem é o novo zagueiro do Timão

05/03/2019 09h55

"Sabe de uma coisa? Fico sem palavras para dizer o que penso sobre o seu filho". Foi assim que Waldemar Méndez, pai de Bruno Méndez, ouviu de Óscar Tabárez, técnico do Uruguai, que o filho havia tido um início impressionante com a seleção principal nos amistosos contra o Brasil e França, no fim do ano passado. A partir daquele momento, começaria a maior mudança na vida e na carreira do novo reforço do Corinthians.

Mais precisamente no dia 10 de novembro de 2018, Méndez foi chamado por Maestro por causa das lesões que afetaram o capitão Diego Godín, José Maria Giménez, Sebastián Coates, Gastón Silva, Mauricio Saracchi e Erick Cabaco. A princípio, o defensor pensou que a notícia era uma brincadeira dos amigos, já que estava esperando pela convocação da sub-20 para o amistoso com o Chile, na preparação para o Campeonato Sul-Americano. Mas aí o telefone tocou, e ele reconheceu a voz do assistente de Tabárez, Celso Otero. Era tudo verdade.

Uma semana depois, Bruno Mendéz viajou para a Europa. Foi escolhido para ser o titular nos dois jogos e vestir a camisa 3 de Godín. Antes do confronto contra a França, o zagueiro do Atlético de Madri foi ao jogo e encontrou com o substituto, o aconselhando que "não teria de demonstrar nada, porque estava muito claro que tinha qualidade para estar na seleção". Antes, ele já havia sido elogiado pelo comandante:

- Foi uma estreia absoluta. Ele joga na sub-20 do Uruguai, é capitão e mostrou, como sempre passa com os talentos, que parece ter mais idade do realmente tem, porque mostra um nível de experiência que não condiz com o tempo de desenvolvimento do futebol. Essas coisas são importantes porque acrescentam o potencial da equipe quanto às opções de novos jogadores disse Tabárez em entrevista coletiva após o jogo contra o Brasil.

Naturalmente, um grande clube demonstraria interesse. Aos 19 anos, o zagueiro deixou o modesto Montevideo Wanderers e se transferiu para o Timão, abandonando a casa dos pais em Montevidéu para viver sozinho, pela primeira vez. Uma reviravolta na rotina do jovem que estava acostumado a andar de ônibus pela capital, assistir aos jogos de basquete Club Atlético Aguada ao lado da mãe, Gabriela Cittadini, e escutar a tradicional banda de rock uruguaia La Vela Puerca.

- Se dissessem, há seis meses, que tudo isso ia acontecer com Bruno, ele não acreditaria. Esse é o momento dele, uma odisseia para quem começou a jogar futebol com apenas quatro anos - disse o pai do jogador em entrevista para o LANCE!

Apegado à família e estudioso

Apaixonado por futebol, Mendéz começou a jogar bola aos quatro anos de idade, no Complexo Hecto del Campo, do Danúbio, localizado a poucos metros da residência da família, no bairro de Malvín Norte. Permaneceu por lá até os 12, quando o dispensaram por não ter altura suficiente.

- Ele não queria mais jogar futebol. Mas um amigo do pai dele conseguiu que realizasse uma avaliação aqui no Wanderers. Nós gostamos muito dele e, rapidamente, colocamos em nossas inferiores. Particularmente, ele sempre me chamou atenção porque se destacava pela qualidade e rápida evolução. E, não à toa, chegou à seleção - contou Sebastián Garcia, gerente-geral do Montevideo Wanderers.

O sonho de se tornar atleta, mais uma fez, quase foi interrompido. Desta vez, por um grande engano. Quando Mendéz completou 16 anos, a diretoria do Wanderers chamou ele e a família para firmar o primeiro contato, mas o pai pensava que o clube iria desligá-lo.

- Eu chamei os pais para contar que faríamos o primeiro contato profissional, e o pai chegou nos agradecendo por termos chamado, pensando que íamos deixá-lo livre. Isso nos mostrou muita humildade dele e da família. O Bruno sempre foi muito tranquilo e ouviu os nossos conselhos para assumir toda a responsabilidade que está tendo agora - completou Garcia.

O zagueiro fez a sua estreia profissional no Wanderers em novembro de 2017, na vitória por 1 a 0 contra o Rampla Juniors, no campeonato uruguaio. Antes, ele já havia sido convocado para a seleção uruguaia sub-17, contra os Estados Unidos, e logo se converteu como o capitão da equipe sub-20.

Mesmo com os exaustivos treinamentos e tendo que pegar ônibus para se locomover entre os compromissos, Bruno Mendéz nunca deixou a educação de lado. Concluiu os estudos em um colégio bilíngue - língua inglesa - e iniciou o curso de Educação Física, na Universidad de la Empresa (UDE), depois de cogitar fazer Medicina. Com 18 anos, ele ganhou um carro para conciliar todas as atividades e, assim, terminar o primeiro ano da graduação.

Durante as férias, o defensor sempre gostou de descansar e tomar mate na praça Virgilio e viajar ao lado da família, amigos e namorada para a praia de La Floresta, em Canelones - a 1h30 de distância da capital. Mendéz também adora murga e o Carnaval uruguaio, videogame e, é claro, o tradicional churrasco.

No Corinthians, Mendéz se aproximou dos paraguaios Sérgio Díaz e Romero e, aos poucos, está se adaptando à nova cidade. Agora, ele quer aprender o idioma, cair nas graças da Fiel e repassar as novas experiências aos compatriotas uruguaios. Essa é a raça charrúa!

Esporte