PUBLICIDADE
Topo

Um mês suspenso: como foi o período sem jogos e polêmico de Deyverson

02/03/2019 08h00

Deyverson completa neste sábado um mês da última vez em que entrou em campo. Depois de 2 de fevereiro, quando foi expulso por ter cuspido em Richard, do Corinthians, na derrota do Palmeiras por 1 a 0, no Allianz Parque, o atacante passou a cumprir suspensão de seis jogos no Campeonato Paulista, imposta pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP). Ainda assim, não conseguiu ficar longe de polêmicas nas últimas quatro semanas.

Foram dois pedidos públicos de desculpa, multa similar ao seu salário, broncas em entrevista coletiva do técnico Luiz Felipe Scolari, definição de suspensão e uma quase ida ao futebol chinês que teve até um inoportuno vídeo de despedida "de brincadeira". Agora, mesmo com dois jogos ainda a cumprir no Estadual, o camisa 16 vive a oportunidade de, enfim, voltar a ficar à disposição, na quarta-feira, contra o Junior Barranquilla, na Colômbia, pela Libertadores.

O LANCE! lembra como foi esse movimentado mês sem jogo de Deyverson:

2 de fevereiro

Deyverson entrou no lugar de Borja aos 14 minutos do segundo tempo. Aos 42, recebeu cartão vermelho por cuspir em Richard. Logo após o jogo, Felipão reprovou o ato, que poderia suspender o atacante por até 12 partidas no Campeonato Paulista. Ainda no dia da derrota no Dérbi, o camisa 16 usou seu Instagram, sem pedir comentários, para pedir desculpas.

- Estou aqui para pedir desculpas pelo acontecimento de hoje a tarde. Infelizmente, depois de sofrer uma entrada dura, acabei perdendo a cabeça e cometi um erro. Peço desculpas ao Richard, jogador do Corinthians, aos meus companheiros, comissão técnica, aos torcedores do Palmeiras e a todos que estavam assistindo ao jogo. Sei que, dentro de campo, sou exemplo para muitas pessoas e estou muito triste e arrependido pelo que aconteceu. Não acontecerá novamente e vou continuar trabalhando muito para voltar a dar alegrias para a torcida do Palmeiras - escreveu o centroavante.

4 de fevereiro

No segundo dia de folga do elenco, Deyverson foi informado de que teria uma reunião com o diretor de futebol Alexandre Mattos antes do treino de reapresentação, no dia seguinte. Para aumentar a pressão, Ricardo Goulart teve sua documentação regularizada, sendo mais uma opção como centroavante dentro do elenco, mesmo que improvisado no setor.

5 de fevereiro

O Palmeiras aplicou uma multa de R$ 350 mil. O alto valor, similar ao do salário do jogador, está estipulado dentro do regulamento interno disciplinar do clube. A decisão foi informada ao camisa 16 por Mattos, que ainda o cobrou em reunião realizada antes do treinamento na Academia de Futebol.

6 de fevereiro

Deyverson é denunciado no artigo que fala especificamente do ato, o 254-B do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. A punição prevista é de seis a 12 partidas, o que comprometeria a atuação do jogador até uma eventual segunda final do Paulista, se pegasse a pior pena.

8 de fevereiro

Deyverson volta a fazer uma publicação em seu Instagram, mas somente com uma postagem de luto e o símbolo do Flamengo, por conta da tragédia no centro de treinamento do clube carioca que gerou a morte de dez jogadores das categorias de base do Rubro-Negro. O atacante escreveu apenas "Meus sentimentos", ainda com comentários desabilitados.

11 de fevereiro

O TJD-SP suspendeu Deyverson por seis jogos, pena mínima prevista a quem cospe em um adversário. Ele já cumpriria suspensão automática contra o Bragantino, na noite do mesmo dia 11, no Pacaembu, e esteve no tribunal para se defender. O atacante terá condição de atuar na última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, em 20 de março.

- Se ele aprendeu alguma coisa, volta com o status que eu sempre dei. Se ele não aprendeu, não volta. Não adianta, chega. Se aprendeu, ok. Se dá uma chance, mas tem que ver se aprendeu. Temos 70 jogos no ano ainda, aí não vai dar. Depois vamos esperar as atitudes durante a semana e o mês - disse Felipão sobre o comandado, depois da partida.

12 de fevereiro

Deyverson fez sua última publicação fixa no Instagram, ainda sem habilitação para comentários. O atacante postou foto ao lado da cantora Camila Nogueira, sua namorada, para comemorar o Dia de São Valentim, celebrado como Dia dos Namorados ao redor do mundo.

- Hoje é nosso primeiro Velentine's Day juntos! Te amo - escreveu Deyverson, com erro na grafia em inglês, já que o dia é chamado "Valentine's Day".

13 de fevereiro

Mesmo ainda em busca de recondicionamento físico, já que passou por cirurgia no joelho direito no fim de outubro, Ricardo Goulart é escolhido para ser o último inscrito pelo Palmeiras na primeira fase do Campeonato Paulista. A decisão tem também como peso a suspensão de Deyverson, ratificando a pressão sobre uma resposta do camisa 16.

16 de fevereiro

Alexandre Mattos viaja para a Europa, mais especificamente na Espanha. O diretor de futebol tem como principal objetivo acertar com o Levante, que detém parte dos direitos econômicos de Deyverson, a venda do jogador para o Shenzhen FC, da China, em negociação que poderia ser de 15 milhões de euros (R$ 64 milhões) - são 12 milhões de euros, mais três milhões em metas.

21 de fevereiro

Torna-se público o avanço do Palmeiras na venda de Deyverson ao Shenzhen FC, da China. Os clubes envolvidos já tinham chegado a um acordo e faltava apenas o jogador acertar a sua parte com os asiáticos. O Palmeiras vibrava com o lucro da transação, já que o centroavante foi contratado em 2017 do Levante por 5 milhões de euros (R$ 18 milhões na cotação da época), pagos pela Crefisa, patrocinadora do clube, que deverá ser ressarcida de volta em até dois anos se a venda fosse concretizada.

22 de fevereiro

Felipão questiona a Deyverson se está sacramentada sua venda à China, já que precisa definir a lista de inscritos na Libertadores. Ouve do próprio jogador que não gostaria de ir e promete ajudá-lo a ter disciplina para ser mais útil ao Palmeiras, com menos polêmica dentro de campo.

23 de fevereiro

Logo depois do empate por 0 a 0 diante do Santos, que gerou vaias da torcida no Allianz Parque, Scolari anuncia, em entrevista coletiva, que Deyverson vai ficar. A reação nas redes sociais de palmeirenses é com a maioria reprovando a permanência do jogador. A decisão também frustra a diretoria.

24 de fevereiro

Um vídeo de despedida de Deyverson aparece nas redes sociais, com o atacante dizendo que viajaria para a China no dia seguinte e cita o prejuízo por ter cuspido em Richard e sido suspenso. Mais tarde, o próprio jogador avisa que a mensagem não passava de uma brincadeira entre amigos e pede tranquilidade, já que ele, definitivamente, ficará no Palmeiras.

25 de fevereiro

Antes do treino, Deyverson dá uma entrevista coletiva em moldes incomuns, com um pronunciamento e a permissão de somente três perguntas. Pediu desculpas, avisou que ligou para pedir perdão a Richard e justificou sua recusa à China pela vontade de sair do Palmeiras pelas portas da frente. Em três oportunidades, contudo, ressaltou que não pode prometer que não cometerá mais erros com a camisa do clube.

1 de março

Felipe Melo diz que Deyverson não é mais criança, já que tem 27 anos de idade, e precisa querer mudar para, finalmente, evoluir. O volante se colocou como exemplo e disse acreditar na reviravolta do colega, pois enxerga no camisa 16 a vontade de deixar as polêmicas para trás.

Esporte