PUBLICIDADE
Topo

Diniz culpa 'sonolência' no início do jogo pelo empate com o Resende

01/03/2019 19h43

Em jogo de pouca inspiração, o Fluminense não conseguiu mais que um empate em 1 a 1 com o Resende, nesta sexta-feira, em Moça Bonita. O Tricolor levou um susto e começou atrás no placar, na partida válida pela segunda rodada da Taça Rio. Maxwell fez o sétimo gol dele no Carioca aos nove minutos. O time de Fernando Diniz igualou na segunda etapa com Yony González. Após a partida, o treinador fez a análise do desempenho da equipe e criticou a falta de concentração nos primeiros minutos de bola rolando.

- Faltou não entrar no primeiro tempo com uma certa sonolência. O time entrou em campo disperso e possibilitou o Resende em um chute que desviou fazer o gol. Entramos de uma maneira que não deveríamos entrar. No segundo, a equipe foi mais aguerrida teve mais mobilidade e interesse em ganhar o jogo. Temos de entrar nos jogos com a mesma concentração do segundo tempo, o que tem sido a tônica da equipe. Provavelmente, se tivéssemos continuado com os 11 jogadores, teríamos vencido a partida - disse.

Diniz também isentou Ganso de culpa pelo resultado aquém do esperado. O meia fez a sua segunda partida com a camisa do Fluminense e teve uma atuação discreta, em que não conseguiu ser decisivo e nem acertou bons passes. Para o treinador, a atuação coletiva teve um peso maior para o resultado.

- Conseguimos chutar pouco. Jogamos com um time que estava com os 11 jogadores da intermediária para trás e as chances foram raras. Não foi um problema do Ganso no primeiro tempo, o time time todo estava sem mobilidade e agressividade, isso dificulta para quem está armando o jogo. Não foi um problema dele, foi um problema do time - concluiu.

Com o resultado, o Tricolor chegou aos quatro pontos e lidera o Grupo B da Taça Rio. O time volta a campo na próxima quarta-feira, quando encara o Ypiranga-RS, pela Copa do Brasil, às 21h30, no Maracanã.

Esporte