PUBLICIDADE
Topo

Corinthians passa a ter saldo positivo nas disputas de pênalti na Era Cássio

28/02/2019 11h19

Foi o golaço de Vágner Love, de voleio, contra o Racing, que impediu a derrota e a eliminação do Corinthians na Sul-Americana com a bola rolando. Porém, foram as defesas de Cássio nas penalidades que garantiram a classificação paulista para a próxima fase da competição continental.

No dia em que completou 395 jogos pelo clube, se tornando o segundo goleiro com mais partidas na história do Timão, empatado com Gylmar dos Santos Neves e atrás apenas de Ronaldo, o camisa 12 passou a ter também um saldo positivo em disputas de pênalti pelo clube. Essa foi a 9ª vez que o arqueiro passou pelas cobranças alternadas com o Alvinegro, e a quinta em que saiu vitorioso. A terceira consecutiva.

PARANDO FABULOSO

O bom desempenho de Cássio nos pênaltis com a camisa do Corinthians começou em 2013, em seu segundo ano no clube. Após o empate em 0 a 0 com o São Paulo no tempo normal da semifinal do Paulistão, a definição do finalista foi para as cobranças alternadas.

Logo em sua primeira disputa de pênaltis, Cássio brilhou. O goleiro corintiano defendeu a batida de Luis Fabiano - Ganso já havia cobrado por cima -, no canto direito, e abriu caminho para o triunfo sobre o rival por 4 a 3.

DEFESAS E DERROTAS

Cássio manteria o bom desempenho nos pênaltis nos anos seguintes, defendendo cobranças de Rogério Ceni, em 2013 e em 2015, de Eduardo da Silva, do Flamengo, em 2014, de Alan Kardec, do São Paulo, também em 2015, de Cícero, do Fluminense, em 2016, e Luan, do Grêmio, e Lucca, da Ponte Preta, ambos em 2017. No entanto, a equipe acabou derrotada em quatro das cinco disputas de pênaltis entre 2015 e 2017.

Em 2015, o time acabou eliminado pelo Palmeiras na semifinal do Paulista, nos pênaltis. No ano seguinte, pelo Audax. No início de 2017, mesmo com Cássio defendendo a cobrança de Araruna, o Corinthians perdeu a decisão da Florida Cup para o São Paulo. Na mesma temporada, pela Copa do Brasil, eliminou o Brusque, que bateu duas vezes para fora, mas acabou caindo diante do Internacional. O camisa 12 defendeu a cobrança de Ortiz, porém, Maycon, Marquinhos Gabriel e Arana desperdiçaram.

O INÍCIO DA VIRADA

Após defender cobranças de Luis Fabiano, Rogério Ceni - duas vezes - e Araruna, Cássio voltou a brilhar contra o São Paulo, nas semifinais do Paulistão de 2018.

Após devolver o 1 a 0 do jogo de ida, com um gol de Rodriguinho já nos acréscimos, a definição do finalista ficou para os pênaltis. Melhor para os corintianos, que viram Cássio defender as batidas de Diego Souza e Liziero e classificar o Alvinegro para mais uma decisão de Estadual.

BRILHO DE CAMPEÃO

Da mesma forma com que o Corinthians eliminou o São Paulo, ele garantiu a taça de campeão paulista de 2018: através das defesas de Cássio. Após nova derrota por 1 a 0 no primeiro jogo, dessa vez contra o Palmeiras, e vitória pelo mesmo placar na volta, novamente com gol de Rodriguinho, o Timão decidiu o seu destino nas penalidades.

Logo na primeira cobrança, o camisa 12 corintiano fez jus à fama de pegador de pênalti, impedindo o gol de Dudu. O goleiro defenderia ainda a batida de Lucas Lima, garantindo mais um título paulista para a galeria do Corinthians.

A CONSAGRAÇÃO INTERNACIONAL

Campeão mundial e da Libertadores com o Corinthians, Cássio nunca havia defendido um pênalti contra um clube estrangeiro em sua trajetória com a camisa alvinegra. Até esta quarta-feira. E em dose dupla.

Contra o Racing, da Argentina, pela Copa Sul-Americana, o goleiro corintiano garantiu a classificação paulista ao defender as cobranças de Domínguez e Solari, após o empate em 1 a 1 no tempo normal entre as equipes. Agora, são nove disputas de pênaltis do Corinthians com Cássio no gol e quatro vitórias.

Esporte