PUBLICIDADE
Topo

Decisivo no título, expulsões e 'novela chinesa': altos e baixos de Deyverson

26/02/2019 07h00

A repercussão da negociação frustrada de Deyverson com o Shenzhen FC, da China, é apenas mais um capítulo de uma relação de altos e baixos do atacante com a torcida do Palmeiras. Ele teve de pedir desculpas, inclusive, ao presidente Maurício Galiotte, por conta de vídeos que vazaram primeiro anunciando a ida para o clube asiático, e depois contando que o comunicado não passava de uma brincadeira entre amigos.

Há pouco menos de dois anos no Verdão, o centroavante já conseguiu ser peça-chave na conquista de título brasileiro, foi perseguido pela torcida, tornou-se xodó, acumulou expulsões e agora terá de reconquistar a confiança dos palmeirenses. Veja os principais "causos" de Deyverson no clube.

- Vai ou não vai?

Alexandre Mattos viajou à Espanha na última semana para reunir-se com o Levante (ESP), ex-clube de Deyverson, e amarrou sua negociação com o Shenzhen FC. O valor da transferência era alto e poderia chegar a 15 milhões de euros (R$ 63 milhões), mas restava o jogador aceitar. Isto não aconteceu. Felipão, sábado, já havia revelado o desejo de o centroavante ficar, mas no domingo o caso ganhou capítulos inusitados.

Um vídeo enviado por Deyverson a um grupo de amigos, anunciando sua ida à China, viralizou nas redes sociais. Minutos depois saiu outro vídeo do palmeirense, dizendo que o anterior não passava de uma brincadeira. Por conta do mau-estar causado, ele teve de se explicar segunda, em entrevista.

- Gancho e multa

Ainda que seu estilo de jogo agrade a Felipão, Deyverson não tem jogado, pois cumpre punição imposta pelo TJD-SP. Ele foi suspenso por seis jogos no Paulista, após cuspir em Richard, volante do Corinthians. Como não foi o primeiro ato de indisciplina do jogador, o Verdão lhe aplicou uma pena pesada: multa de R$ 350 mil. Ele já cumpriu três partidas da punição.

- E antes era tudo festa...

Deyverson havia recuperado o prestígio com a torcida após a volta de Luiz Felipe Scolari ao Palmeiras. Ele fez nove gols nas 26 partidas que disputou ao longo da campanha do título brasileiro. Marcou nos clássicos contra São Paulo e Corinthians, mas principalmente decidiu o jogo que decretou a conquista, contra o Vasco, em São Januário. Merecidamente, foi um dos jogadores mais empolgados no trio elétrico para comemorar a taça.

- Gols x problemas

Apenas Dudu (56 gols) e Borja (32) têm mais gols pelo Palmeiras do que Deyverson no atual elenco (ele fez 18 em 66 jogos). Mas o camisa 16 também acumula problemas: neste curto período já foi expulso cinco vezes e em 2018 recebeu críticas por provocar rivais, como aconteceu no Dérbi, e em outros momentos por encenar demais em faltas sofridas.

- O primeiro pedido de desculpas

Se Deyverson fez festa após o jogo contra o Vasco, no segundo turno, contra o mesmo clube cruz-maltino, no primeiro turno, o sentimento era outro. Ele também fez o gol da vitória por 1 a 0 no Allianz Parque, mas em vez de vibração, o atacante chorou. A comemoração de seu gol foi, na verdade, um pedido de desculpas à torcida. Ele não vivia bom momento - naquele jogo, em agosto, saiu o seu primeiro gol em uma partida oficial de 2018.

- Vai dar a volta por cima de novo?

Depois dos últimos acontecimentos, Deyverson terá de reconquistar a torcida do Palmeiras novamente. Ele já passou por isso quando chegou e teve sucesso: a birra começou na eliminação da Libertadores de 2017, para o Barcelona (EQU), quando o centroavante não bateu pênaltis na eliminação alviverde. Seu nome, inclusive, entrou em uma lista de demissões na época, durante protesto da torcida. Um ano depois, virou xodó. Conseguirá recuperar o status agora?

Esporte