PUBLICIDADE
Topo

Fica, pede perdão e diz que pode errar de novo: Deyverson fala no Palmeiras

25/02/2019 16h27

Nesta segunda-feira, exatos 23 dias após cuspe em Richard, do Corinthians, que lhe rendeu uma suspensão de seis jogos no Paulista, Deyverson falou com a imprensa. Sem rir, como fez no vídeo "de brincadeira" em que se despediu rumo à China. O atacante recusou mesmo a oferta do Shenzhen FC, da China, que poderia render 15 milhões de euros (quase R$ 64 milhões) ao clube porque quer "sair pela porta da frente". Ao mesmo tempo, disse repetidamente que pode errar de novo, como tem feito seguidamente no Verdão.

- Se eu disser que não posso cometer outro erro, é mentira. Sou ser humano, passível de erro. Mas me arrependi. Eu, minha família e o Palmeiras sofreram também, porque sabem a minha índole, um menino de bom coração. Mas acontecem coisas que não posso voltar atrás. Posso errar, sim, porque sou um ser humano. Muitas pessoas me falam do que estou fazendo falta, e isso me dói muito. Eu me arrependo muito. Se um jogador tivesse esse ato contra mim, eu ficaria muito chato e bravo. Por isso, me dói muito - disse o camisa 16.

- Os companheiros falam que faço falta pela forma e estilo de jogar, ajudando muito os companheiros e o grupo. Espero não cometer outros erros que cometi e que possam comprometer minha imagem e pessoa. Sou um menino espontâneo, brincalhão, mas hoje não é dia de brincar. Fiz coisas que não agradaram ao Palmeiras e à mídia. Mas, se eu falar que não vou cometer de novo, é mentira. Estou trabalhando com a psicóloga, que está me ajudando bastante, para que os erros que venho cometendo não possam se repetir.

Deyverson encarou os jornalistas por cerca de seis minutos, em um processo diferente das entrevistas coletivas comuns. Fez um pronunciamento, no qual apenas pediu desculpas aos palmeirenses, e respondeu a somente três perguntas. Pelo Campeonato Paulista, o camisa 16 só poderá entrar em campo contra a Ponte Preta, em 20 de março. Mas ele está à disposição para a estreia na Libertadores, no dia 6, contra o Junior Barranquilla, na Colômbia.

Confira abaixo, na íntegra, o que disse Deyverson nesta segunda-feira:

PRONUNCIAMENTO

Antes de tudo, quero vir aqui pedir desculpas ao presidente, ao Palmeiras e aos torcedores do Palmeiras por algumas coisas que vim cometendo e não agradou a essas pessoas que acabei de falar. É isso.

RELAÇÃO COM TORCIDA

É uma coisa chata, né? Falei agora com meus companheiros que esse vídeo surgiu de um grupo de amigos em que eu tinha confiança e não tenho mais. Pensei que todos eram meus amigos, mas um fez que o vídeo vazasse. E não é de agora o vídeo. Eu estava brincando com eles. Não é uma brincadeira tão legal com os torcedores, mas eu tiraria de letra com meus amigos. E vazou. Devo muito ao Palmeiras e aos torcedores pelas coisas q cometi. Conversei com minha família, sentei e achei que o momento de sair do Palmeiras não era agora, porque ainda quero ganhar títulos e trazer alegria como pude trazer com companheiros em ser campeão brasileiro. Foi uma das coisas que pensei para não sair do Palmeiras agora.

SUSPENSÃO

É complicado, né? Jogador vive de jogos e de gols. E foi por um erro que cometi no jogo contra o Corinthians, com o jogador Richard. Tive a oportunidade de ligar para ele e pedir desculpas, de homem para homem, porque sei que cometi um erro muito grave. Se eu disser que não posso cometer outro erro, é mentira. Sou ser humano, passível de erro. mas me arrependei. Eu, minha família e o Palmeiras sofreram também, porque sabem a minha índole, um menino de bom coração. Mas acontecem coisas que não posso voltar atrás. Posso errar, sim, porque sou um ser humano. Muitas pessoas me falam do que estou fazendo falta, e isso me dói muito. Eu me arrependo muito. Se um jogador tivesse esse ato contra mim, eu ficaria muito chato e bravo. Por isso, me dói muito. Os companheiros falam que faço falta pela forma e estilo de jogar, ajudando muito os companheiros e o grupo. Espero não cometer outros erros que cometi e que possam comprometer a minha imagem e a minha pessoa. Sou um menino espontâneo, brincalhão, mas hoje não é dia de brincar. Fiz coisas que não agradaram ao Palmeiras e à mídia. Mas, se eu falar que não vou cometer de novo, é mentira. Só que estou trabalhando com a psicóloga aqui, que está me ajudando bastante, para que os erros que venho cometendo não possam se repetir.

NEGOCIAÇÃO COM A CHINA

Surgiu o projeto de poder ir para a China. Na sexta-feira, o Felipão me perguntou se ele poderia me inscrever na Libertadores. Não descartou minha ida para a China, falou que os valores eram bons e que a decisão era minha. Mas falei que poderia me inscrever. Sentei com a minha família e falei que devo muito ao Palmeiras pelo que vem acontecendo. Fui muito criticado quando cheguei e dei a volta por cima. Hoje, por algumas coisas que fiz e não agradaram, não seria o momento de sair. Queria sair pela porta da frente. Então, optei por ficar. Sou muito feliz aqui. Amo o Palmeiras. Tenho um carinho enorme pela forma como me tratam e me acolhem. Eles têm toda a razão em me punir, não vou contra eles. O que fiz foi muito grave, estão certos em punir pelo que fiz. Mas nunca faltou dedicação e vontade de jogar e ajudar o Palmeiras. Isso não vai mudar nunca.

Esporte