PUBLICIDADE
Topo

Sport terá de melhorar proposta para tirar Diego Souza do São Paulo

24/02/2019 20h58

O futuro de Diego Souza é incerto. Até o momento, a proposta do Sport não conseguiu chegar aos moldes que o São Paulo exige para liberar o atacante de 33 anos, cujo contrato vence em dezembro de 2019.

O São Paulo faz jogo duro e promete que Diego só será liberado se suas exigências forem atendidas. O clube não descarta negociar o atleta com outra equipe e nem mantê-lo no elenco, mesmo com a necessidade de reduzir a folha salarial para poder contratar novos reforços.

O Sport, que chegou a ficar bem otimista na semana passada, deve tentar mais uma cartada nesta segunda-feira, dia que pode ser definitivo na negociação.

As partes não divulgam detalhes das conversas, mas o maior entrave é a divisão dos salários de Diego Souza. O Sport quer que o São Paulo fique responsável por uma fatia considerável dos vencimentos do atacante, o que não seria muito interessante para os paulistas.

Uma possibilidade levantada durante a negociação seria o abatimento do valor que o Sport ainda tem a receber do São Paulo pela venda de Everton Felipe - R$ 3 milhões, que podem virar R$ 2,2 milhões se descontados os R$ 800 mil que o Leão deve ao Tricolor pela compra do atacante Rogério.

Uma terceira via seria a rescisão de Diego Souza com o São Paulo, mas dessa forma o Sport não conseguiria chegar perto do patamar salarial desejado pelo jogador.

Diego Souza teve duas passagens de sucesso pela Ilha do Retiro entre 2014 e 2017. No início de 2018, foi comprado pelo São Paulo por cerca de R$ 10 milhões. Ele foi artilheiro da equipe em 2018, com 16 gols, mas virou reserva em 2019 e marcou só uma vez em sete partidas até agora. No empate sem gols com o Red Bull, neste domingo, ficou no banco e não entrou,

Esporte