PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras tenta entender vaias três meses depois do título brasileiro

24/02/2019 08h00

Nesse sábado, o Palmeiras completou exatos 90 dias da confirmação do título brasileiro, com a vitória por 1 a 0 sobre o Vasco, no Rio de Janeiro, em 25 de novembro. Um tempo que parece curto, mas suficiente para o time receber vaias, como ocorreu depois do 0 a 0 diante do Santos, no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista. E os jogadores tentam entender a reação da torcida.

- Sinceramente, não entendi. A equipe mostrou que queria vencer, marcou o Santos, em alguns momentos com pressão. É um padrão de jogo do time deles manter a posse de bola. O torcedor tem de entender - disse Moisés, explicando que, mesmo abusando de lançamentos errados e ficando menos com a bola, o Verdão teve muito mais oportunidades claras do que o adversário.

- Se tivesse que ter um vencedor, teria de ser o Palmeiras, por tudo que construímos. Tivemos quatro, cinco chances bem claras de gol. O goleiro deles foi muito bem também. É ter tranquilidade, entender que o torcedor quer sempre a vitória, e nós também. Mas acabou não acontecendo - completou o camisa 10.

Na análise de Bruno Henrique, capitão do Palmeiras, as vaias foram consequência de um problema pontual. O volante acredita que os torcedores se irritaram por ver a equipe tão perto de balançar as redes, mas sem conseguir, como já tinha ocorrido na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, no último dia 2, em outro clássico disputado no Allianz Parque nesta temporada.

- É natural. Acho que as vaias são um pouco pela insatisfação da falta de gol. A torcida sabe que o time se entregou muito no jogo. Foi um grande jogo do time, taticamente foi um grande clássico. A insatisfação é porque, infelizmente, faltou pouco para fazermos o gol. Acho que essa é a única insatisfação do torcedor neste momento. Estamos trabalhando para melhorar isso e, nos próximos jogos, quando tiver a oportunidade, fazer o gol - falou o camisa 19.

Seja qual for o motivo, o fato é que o atual campeão brasileiro parece estar devendo, na opinião de, ao menos, alguns dos quase 34 mil torcedores pagantes no clássico desse sábado. Por isso, a promessa é de trabalho para conseguir satisfazer os exigentes palmeirenses já nesta quarta-feira, quando o time volta ao Allianz Parque para enfrentar o Ituano, pelo Campeonato Paulista.

- Vejo com naturalidade. O torcedor saiu de casa, pagou seu ingresso, cantou e incentivou o jogo todo. Não veio a vitória, é natural, às vezes, escutar umas vaias. Não temos de nos incomodar com isso. Temos de tentar, no próximo jogo, dar a vitória para eles e eles voltem a nos apoiar, como sempre vêm fazendo. É ter tranquilidade. Trabalhamos no dia a dia, fazendo o melhor que podemos fazer, para tentar dar alegria ao nosso torcedor e em busca das vitórias - comentou o goleiro Weverton.

Esporte