PUBLICIDADE
Topo

Mãos à obra! Segurança de goleiros é o trunfo de Coritiba e Toledo para a final da Taça Barcímio Sicupira

24/02/2019 07h25

O desafio de comprovar quem tem mãos firmes para segurar a Taça Barcímio Sicupira marca a decisão entre Coritiba e Toledo. Neste domingo, às 17h, no Couto Pereira, os goleiros Wilson e André Luiz, que brilharam em disputas de pênaltis nas semifinais, têm a chance de conduzir suas respectivas equipes à vaga na final do Campeonato Paranaense.

Wilson, que fará seu jogo de número 200 pelo Coxa, crê que sua experiência pode contribuir para ajudar os demais companheiros neste momento de decisão:

- Pode ajudar, pelo fato de já ter vivido isto em outros momentos. Não só minha experiência, mas de outros atletas, como Rodrigão, Alan Costa, João Vitor... - afirmou, ao LANCE!.

Em nova passagem pelo Porco, André Luiz mostrou-se confiante com a luta que terá pela frente, mas dividiu o mérito da equipe estar na final com seus companheiros:

- Só tenho a agradecer a Deus por esta responsabilidade estar nas minhas mãos. É um grande desafio, mas não estamos na final só por minha causa. Nosso sistema defensivo é muito bom.

Ao falar sobre o embate deste domingo, Wilson não negou que o Coritiba ostenta o posto de favorito no Couto Pereira (onde a equipe jogará, por ter obtido, no saldo de gols, a melhor campanha no primeiro turno). Mas fez um alerta:

- O favoritismo é algo normal, pelo tamanho do clube, por jogarmos dentro de casa. Mas sabemos que será um jogo muito difícil e precisamos estar concentrados para sair com a vitória.

Já o titular da meta do Toledo (clube que foi fundado em 2004) garantiu que a equipe está unida na busca por uma façanha inédita:

- É um momento histórico para o Toledo, pela primeira vez a gente chega a uma decisão de turno. A gente encara como uma chance de todos os jogadores terem visibilidade. Nosso time é humilde, se fechou bem e está muito unido para lutar, respeitando o adversário, independente da camisa que vista.

O vencedor no tempo normal dará a volta olímpica. Caso o empate persista nos 90 minutos, uma disputa nos pênaltis definirá quem é o campeão da Taça Sicupira.

UM COXA 'ESCALDADO' NO ESTADUAL E QUERENDO SE REDIMIR NO ANO

O Coritiba tem outros motivos para tomar cuidado com o Toledo. Nas semifinais, a equipe quase foi surpreendida pelo Cascavel. A equipe empatou sem gols no tempo normal, com direito a Wilson defender um pênalti. Nas cobranças de pênaltis. o goleiro pegou uma cobrança e converteu outra.

Wilson garantiu que o jogo da semifinal deixou o Coxa mais atento:

- Sempre fica, porque sabemos que os outros times têm uma qualidade. Tivemos um contexto difícil contra o Cascavel, viagem longa, voos atrasados. Mas o próprio Toledo já veio no primeiro turno no Couto Pereira, conseguiu o empate (a partida terminou em 0 a 0) e mostrou uma grande capacidade de marcação.

O Coritiba, comandado por Matheus Costa, ainda vem de uma decepção na temporada: a eliminação na Copa do Brasil, com uma derrota por 3 a 2 para a URT, resultado que custou a demissão do técnico Argel Fucks. Wilson disse que o momento é de virar a página e mostrar, já na final do Estadual, que o Coxa pode se sobressair:

- A gente sabe que nada vai voltar e apagar o que aconteceu na Copa do Brasil, era algo importante para todo o clube e não conseguimos. Agora é trabalhar, seguir em frente e com certeza começa por essa final de turno, que ao menos pode nos garantir na final do campeonato.

NO PORCO, UNIÃO E LUTA. PRIMEIRO, PARA NÃO TOMAR GOLS

No Toledo, a força defensiva segue como trunfo para a equipe surpreender o Coritiba. Aos olhos de André Luiz, o mérito do Porco (que, assim como o Coxa, teve duas vitórias e cinco empates na Taça Sicupira), foi fechar os caminhos para os adversários:

- É muito difícil a nossa equipe sofrer gols. Soubemos "fechar a casinha" contra adversários difíceis, arrancando pelo menos um ponto de cada um deles. E, assim, chegamos à final da Taça Sicupira invictos, mesmo com a gente sendo prejudicado pela arbitragem neste caminho - disse sobre a equipe, que sofreu quatro gols, assim como o Coritiba.

Comandado por Agenor Piccinin, o Porco deposita suas fichas em nomes como o zagueiro Eduardo Luiz (que tem passagem pelo Vasco), no meio-campista Revson e no atacante Pacato. De acordo com o goleiro, a mescla entre atletas jovens e veteranos faz com que a equipe do Oeste do Paraná não se intimide com a decisão:

- Sabemos da dificuldade que enfrentaremos lá. Um estádio cheio, com pressão, cobrança, mas a gente tem de dar o nosso melhor nos 90 minutos. Também temos bons batedores para tentar ir bem nas cobranças de pênaltis.

O CAMINHO PARA O TÍTULO

Coritiba e Toledo procuram os atalhos até a Taça Barcímio Sicupira. De acordo com Wilson, o respeito e a atenção ao rival são as melhores formas de o Coxa ratificar seu favoritismo no Couto Pereira:

- A gente é uma equipe que vem se formando, mas que vem mostrando vontade de vencer em todos os jogos, de correr um pelo outro. E eles (o Toledo) não chegam a uma final por acaso. Cabe a nós encontrar o melhor caminho para entrar na defesa deles e buscar o resultado ao lado do nosso torcedor.

Já o técnico do Porco, Agenor Piccinin, disse que a equipe tem de tirar proveito dos erros do adversário:

- Todo jogo tem uma história diferente. A gente vai encarar um Couto Pereira cheio e, caso a gente segure a pressão por 10, 15 minutos, podemos tentar surpreender. Nosso grupo é muito leal, muito firme na marcação e tem de tirar proveito de o Coritiba ainda estar em formação. Também contamos com o André Luiz, que tem um histórico de vencedor nos pênaltis.

Nesta decisão da Taça Barcímio Sicupira, ninguém quer deixar o título escorrer entre os dedos.

Esporte