PUBLICIDADE
Topo

Mancini explica má fase do São Paulo: 'O fator emocional joga contra'

24/02/2019 20h45

O São Paulo empatou sem gols com o RB Brasil, neste domingo, no Morumbi, pela oitava rodada do Campeonato Paulista. O técnico Vagner Mancini viu toda sua estratégia para a partida desmoronar, depois de perder Reinaldo por lesão, aos 12 minutos do primeiro tempo, e ver Gonzalo Carneiro ser expulso por falta violenta em Rafael Carioca, aos 18 minutos. Após a partida, Mancini comentou sobre o lance em entrevista coletiva e voltou a citar as dificuldades emocionais do elenco, como havia feito após a derrota para o Corinthians no último domingo.

-Hoje a gente tem de analisar de uma forma um pouco diferente da do último jogo. Eu acho que o São Paulo ainda necessita de um melhor equilíbrio. Porém, o lance do Carneiro na expulsão foi de bola, uma disputa que de onde eu estava não vi direito. É difícil eu dar uma opinião mais precisa. Mas acho que o equilíbrio emocional perfeito vai voltar a partir do momento que você tem um sistema que te ofereça a possibilidade do jogador se sentir confortável no jogo. Aí ele não se preocupa com algumas coisas e passa simplesmente a jogar futebol. A função de um técnico é organizar a equipe e dar ao jogador a chance dele entrar em campo e se sentir confortável. Se ele estiver desconfortável não vai render. Aí você começa a ver queda de rendimento, e o fator emocional joga contra.

Sobre o jogo Mancini destacou a entrega dos jogadores que precisaram se desdobrar na marcação com um homem a menos desde o início do primeiro tempo.

- A expulsão, de certa forma, mudou o panorama do jogo. Se nós acreditávamos que a entrada do terceiro zagueiro ia nos dar uma liberdade maior para que os laterais apoiassem, para que os dois meias e os dois atacantes tivessem sempre mais atletas por perto, e consequentemente a gente chegasse com mais atletas na frente, a expulsão acabou fazendo com que o jogo tivesse uma leitura diferente. Infelizmente hoje temos de falar de superação, entrega, dos atletas entendendo o sistema e se dedicando, e ainda de pouco futebol em virtude desse tempo todo, acho que foram 75 minutos jogando com um a menos diante de uma equipe bem montada - ponderou.

O treinador interino, que ocupa o cargo de Cuca em recuperação de uma cirurgia cardíaca, também viu com bons olhos a mescla entre juventude e experiência no time.

- O que eu acho que o torcedor gostaria de ver é um time leve, intenso, que vai bem na frente. Hoje tivemos muita intensidade no jogo para marcar, porque tínhamos um a menos. Eu quero essa intensidade para chegar ao gol adversário, uma posse de bola sempre objetiva, que te possibilite toda hora romper linhas de marcação. A mudança de peça não vai pela idade, vai pela característica. A gente tem de ver aquilo que se encaixa, a partir do momento que utilizo a entrada de mais um zagueiro, eu estou fortalecendo um sistema que vinha tomando muito gol e dando a possibilidade para que essa equipe possa atacar melhor com os meias, com os alas e com os atacantes - explicou Mancini.

Com o resultado, o São Paulo chegou aos 10 pontos, mas ainda está fora da zona de classificação no Grupo D, atrás do Oeste, com 12 pontos e do Ituano, com 11. A equipe volta a campo no próximo domingo, contra o Bragantino, fora de casa. A partida está marcada para as 17h.

Esporte