Topo

Federação do Equador investigará eliminação do Barcelona de Guayaquil

2019-02-20T14:19:00

20/02/2019 14h19

Quito, 20 fev (EFE).- O presidente da Federação Equatoriana de Futebol, Francisco Egas, anunciou nesta quarta-feira que investigará "a fundo" as razões pelas quais a Conmebol decidiu punir o Barcelona de Guayaquil com uma derrota por 3 a 0 para o Defensor, do Uruguai, resultado que acabou sendo determinante para a eliminação do time equatoriano da Taça Libertadores.

Em declarações à imprensa, Egas expressou "a necessidade de fazer uma investigação a fundo sobre o ocorrido" a fim de impedir que um caso similar volte a ocorrer e para que "a Federação se torne mais eficiente e responsável nos seus procedimentos".

No fim de semana passado, a Câmara de Apelações do Tribunal de Disciplina da Conmebol negou o recurso apresentado pelo Barcelona, que visava anular a sanção recebida por causa da escalação irregular do meia colombiano Sebastián Pérez na partida de ida da segunda fase preliminar da Libertadores.

Em campo, o Barcelona venceu por 2 a 1 em Montevidéu. Na partida de volta, em Guayaquil, o time equatoriano também levou a melhor, por 1 a 0, mas o resultado não foi suficiente para se classificar, já que o resultado do primeiro jogo foi anulado nos tribunais, que deram ao Defensor uma vitória pelo placar de 3 a 0.

O presidente da Federação Equatoriana manifestou nesta quarta-feira que o caso é "realmente lamentável" e que sua organização "tentou apoiar o Barcelona", de modo que a convencer a Conmebol a reverter a decisão.

"Acredito que temos que colaborar com o Barcelona para chegar ao fundo deste assunto. Temos que nos aprofundar sobre o que aconteceu exatamente e tomar as decisões mais firmes possíveis para garantir que isto não voltará a acontecer", analisou.

Egas afirmou que as investigações precisam determinar os responsáveis pelo ocorrido e as causas do erro para tomar as decisões pertinentes.

"Certificaremos tudo o que pudermos dos procedimentos, porque os processos de inscrição em torneios internacionais são responsabilidade das equipes", justificou.

Na decisão, a Câmara de Apelações negou a solicitação de revisão da equipe equatoriana e arquivou o caso. O Barcelona anunciou no domingo que exerceria "todas as ações legais necessárias a fim de que sejam reconhecidos os prejuízos causados ao clube" durante este procedimento disciplinar.

O clube declarou que "deveria estar disputando" a terceira fase da Libertadores, ao considerar que conseguiu "merecidamente" a classificação. EFE

Mais Esporte