Topo

Quem é a nova promessa portuguesa que desponta melhor que CR7 aos 19 anos

Divulgação/Benfica
João Felix, português do Benfica Imagem: Divulgação/Benfica
do UOL

Marcus Alves

Colaboração para o UOL, de Lisboa (POR)

2019-02-18T04:00:00

18/02/2019 04h00

No vestiário, ele é chamado de "menino dos 120 milhões de euros" pelos mais veteranos, uma referência clara ao valor de sua multa rescisória. À primeira vista, ao observá-lo, as cifras podem assustar. Com aparelho nos dentes, cabelo sempre jogado para a esquerda e o rosto ainda coberto por uma espinha ou outra, o garoto de 19 anos desbrava o gramado do Estádio da Luz, em Lisboa, com uma camiseta que, na maioria das vezes, parece grande demais para ele.

Neste caso, talvez a medida utilizada seja o tamanho de seu futebol: sensação do Benfica, João Félix, é considerado o grande jogador português da próxima década. Em sua primeira temporada no time principal, tem arrastado meia Europa para seus jogos. Nem mesmo o compatriota Cristiano Ronaldo mostrava o mesmo brilho com a sua idade.

Em clássico recente com o Sporting, na casa rival, em Alvalade, o próprio Ronaldo esteve presente ao lado de sua mãe e de sua namorada para conferi-lo de perto. Do camarote de seu ex-clube, viu Félix brilhar logo no início com um gol anulado pelo VAR, balançar as redes para valer em seguida e ainda arrancar um pênalti na goleada de 4 a 2.

No outro dia, em praticamente todos os jornais, era consenso: o camisa 79 havia sido o melhor do dérbi.

Em seus primeiros mil minutos como profissional, Félix somou oito gols e três assistências. Ronaldo, por sua vez, teve números mais modestos: três gols e um passe para companheiro marcar.

Logo após a vitória avassaladora sobre o Sporting, Rui Gomes da Silva, ex-vice-presidente do Benfica, brincou com a situação. "O melhor jogador português da atualidade esteve em Alvalade... e foi simpático o Ronaldo ter ido vê-lo jogar", escreveu em seu blog.

Reprodução
Capa do jornal A Bola exalta o talento do jovem João Félix Imagem: Reprodução

Existe a expectativa de que, em breve, os dois possam estar lado a lado, com a convocação da seleção portuguesa para as partidas contra Ucrânia e Sérvia, pelas Eliminatórias para a Euro de 2020, em março. O técnico Fernando Santos tem sido presença habitual na Luz.

Com a troca de treinador no Benfica e a promoção de Bruno Lage, que trabalhava no time B, em janeiro, Félix ganhou também mais espaço no elenco, sendo adiantado em campo do meio para a linha de frente. Parceiro do suíço Seferovic em um esquema 4-4-2, o novato ainda desbancou o brasileiro Jonas, que enfrenta uma temporada cheia de lesões e teve de se contentar com a reserva em seu retorno.

Não haveria como ser diferente também: com a moral elevada da nova sensação de Seixal, categorias de base dos Encarnados, a pergunta que se fazem em Portugal é como pará-lo.

Não tem sido fácil encontrar respostas. Ex-zagueiro de Porto, Juventus e Deportivo La Coruña, Jorge Andrade, que virou recentemente comentarista da RTP, fez uma sugestão, no mínimo, inusitada. "Eu, se ainda jogasse, dava só um pisão no João Félix e não havia mais João Félix durante o jogo. E aí tinham que recorrer a outro estilo de jogo", afirmou, durante a sua participação.

O assunto virou quase uma questão de Estado.

Como a RTP ocupa o posto de emissora pública do país, o Benfica se mostrou indignado com Andrade, pediu esclarecimento e ainda aumentou a controvérsia através do editor de seu jornal, Jorge Nuno Martins, ao chamá-lo publicamente de "besta negra" em programa da BTV, emissora oficial do clube. Martins pediu desculpas pelo termo posteriormente.

Apesar da ligação direta que insistem em fazer com Ronaldo, Félix é tido como uma espécie de mistura de Rui Costa, craque que passou por Milan, Fiorentina e pelo próprio Benfica, e João Vieira Pinto, lenda local que construiu a sua carreira dentro do futebol português.

Em suas capas, o jornal A Bola já se referiu ao prodígio nascido em Viseu e que passou pelo Porto, sem sucesso, como "gênio". A imprensa local é famosa por exagerar em sua abordagem em diversas ocasiões, sobretudo, quando se tratam de jovens jogadores, mas, no caso de Félix, aparentemente não há como se equivocar: está mesmo destinado a palcos maiores.

O Manchester United tem o seu nome insistentemente ligado ao do meia-atacante, cujo futuro passa pelas mãos do superagente Jorge Mendes, que cuida da carreira de Ronaldo, Mourinho, James Rodríguez e outros craques. O seu contrato com o Benfica se encerra apenas em 2023.

Mais Esporte