PUBLICIDADE
Topo

Cuca se diz 'energizado', fala em títulos e avisa que pode começar logo

18/02/2019 16h21

Cuca chegou ao São Paulo animado, falando em conquistar títulos e até em começar a trabalhar antes da data estipulada por seu cardiologista. Em sua coletiva de apresentação, o técnico de 55 anos tentou levantar o astral de um clube que não ganha nenhum título desde 2012, foi eliminado na fase preliminar da Libertadores, acaba de perder para o Corinthians e tem convivido com protestos da torcida.

- Estou aqui depois de 15 anos, muita coisa passa ao longo de todo esse tempo. Estamos matando a saudade hoje. Estou feliz e animado por voltar ao São Paulo Futebol Clube, onde estive em 2004, quando ajudei na montagem com o doutor Juvenal Juvêncio (então vice de futebol) e o doutor Marcelo (Portugal Gouvêa, presidente). É um momento complicado, mas venho muito energizado, queria estar no campo amanhã. Infelizmente, ainda não posso - disse Cuca.

Ele passou por um procedimento cirúrgico no coração em dezembro de 2018 e, seguindo recomendação médica, combinou com a diretoria são-paulina que iniciará seu trabalho no campo em 15 de abril. Foi por isso que o clube definiu Vagner Mancini, contratado para ser coordenador-técnico, como interino no Campeonato Paulista. Cuca, no entanto, não está muito disposto a esperar todo esse tempo para colocar a mão na massa.

- Estou em fim de tratamento. Começou em 5 de dezembro e precisa de quatro a seis meses. Sinceramente, acho que não vou esperar até o fim. Vou dar uma antecipadinha, porque já estou bem bom - admitiu.

- Eu não tenho problema nenhum. Estou fazendo tratamento justamente para não ter problema no futuro. Quero viver o máximo que der, estar com minha neta, continuar trabalhando. Estou energizado e quero passar parte ou toda essa energia aos jogadores, me divertir com eles, colocar em prática as ideias que já estou tendo. A gente não foi feito para sofrer, foi feito para viver bem e pode viver bem - acrescentou.

O presidente Leco, o diretor de futebol Raí e o gerente-executivo Alexandre Pássaro, que estavam na sala de imprensa do CT da Barra Funda, haviam acabado de ser alvos de protesto da torcida. Cuca pediu confiança no trabalho deles e também no de Vagner Mancini, outro que acompanhou a entrevista.

- Eu entendo perfeitamente o que a torcida do São Paulo está passando. O São Paulo se acostumou a ficar no máximo um ou dois anos sem ganhar, agora está há um tempo... Em 2004, a gente montou um elenco forte. Eu falaria para o torcedor ter confiança no meu trabalho, no do Raí, no do presidente Leco, no Mancini, porque a gente vai ter uma sequência boa. Vamos tentar buscar um título nesse ano. É difícil, é. Mas a gente tem condição, o time do São Paulo é bom.

Esporte