PUBLICIDADE
Topo

Leco analisa gestõa e fala sobre problemas; veja coletiva completa

14/02/2019 18h11

Na tarde desta quinta, a diretoria do São Paulo convocou uma reunião no CT da Barra Funda para anunciar mudanças no comando técnico do clube do Morumbi. O técnico André Jardine foi desligado do cargo, mas segue no Tricolor, enquanto Vagner Mancini assumirá interinamente até que o Cuca, o novo treinador, esteja em condições de trabalhar no CT da Barra Funda.

O presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e Raí, diretor-executivo de futebol do clube do Morumbi foram os responsáveis pelo anúncio das mudanças. Abaixo, veja outros temas abordados pelos dirigentes são-paulinos.

Qual a falha no planejamento do São Paulo? (Leco)

Não ter os resultados do futebol como o torcedor deseja e merece pela história do São Paulo. Não destaco um erro pontual, mas não alcançar os resultados no futebol, como necessitado, é o grande ponto.

Problema do São Paulo é físico? (Raí)

Fisicamente a gente viu ontem que o time correu bastante. Não rendeu, mas correu bastante, até o fim, com dez anos também. O calendário prejudica todas as equipes. Se você for pegar uma média dos times brasileiros, não estão no ideal. Mas dentro do tempo trabalhado, ontem vimos uma boa demonstração física.

Como fica a situação de André Jardine no clube? (Raí)

A responsabilidade não é do Jardine, ele continua no São Paulo. Claro que não dentro do esperado, como treinador da equipe principal, mas continua fazendo parte do clube.

Se pudesse voltar no tempo efetivaria o Jardine (Raí)

Não acho. Sim, eu efetivaria o Jardine, porque tem história e capacidade, histórico no São Paulo na base e está há um tempo aqui. O time vinha caindo de produção. Tínhamos dois desafios pela frente. Tivemos uma pequena reação, esperávamos classificar entre os quatro. Sobre a Flórida Cup fizemos em julho ou agosto. Acreditávamos nessa classificação entre os quatro na fase de grupos, e o calendário do futebol brasileiro impõe dificuldades para todos planejamentos. Vimos que muitos clubes passaram pela Flórida. Não foi por isso. Calendário deixa a gente em situação difícil.

Se pudesse voltar no tempo efetivaria o Jardine? (Leco)

Não temos sentimento de que foi precipitado. Jardine teve trabalho importante e vitorioso na base do São Paulo. Jardine passou um ano no principal, na Barra Funda, com a chance de desenvolver conhecimentos e experiência. Entendemos naquele momento que estava certamente qualificado para assumir o principal. Continuamos entendendo, é um excelente profissional, grande caráter. Reúne conhecimentos para desenvolver a carreira de técnico. Infelizmente, não deu certo e nos aconselhou a tomar essa iniciativa de buscar um treinador reconhecidamente experiente e vitorioso, como o Cuca

Alexandre Pato virá? Haverá ajustes no elenco? (Raí)

Não vamos falar de casos específicos. Cuca vai ter tempo de acompanhar trabalhos. Ideia é manter elenco. Vagner como coordenador acompanhou e vai tentar explorar ao máximo. Vagner vai trocar ideias com Cuca e podem chegar a um detalhe ou outro pensando no melhor pro São Paulo

Ainda sobre a demissão de André Jardine (Raí)

Não só os resultados. O jogo não estava rendendo, a produção não estava acontecendo. Ele assume a responsabilidade, mas a responsabilidade maior é minha. Foi algo que a gente acreditou e que nesse momento não funcionou. Mas tenho certeza que o Jardine ainda terá muito êxito na carreira, aqui e em qualquer outro lugar.

Quantidade de técnicos que passaram pelo clube durante a atual gestão (Leco)

Não tenho precisão sobre o número de oito técnicos. Mas ainda que não tenha isso muito certo, não importa. Importa o conceito. Alguns deles não saíram por não se ajustaram e por não ter resultados. Um deles assumiu a seleção argentina, o Bauza. Outros tiveram um período menor. Outros maiores, com confiança e credibilidade. Mas, infelizmente, é um dado que compõe o processo, porque no futebol o resultado é o que conta. Se não tivéssemos perdido em Córdoba e nem empatado ontem, sendo eliminados, mas fosse ao contrário, a situação estaria diferente. Infelizmente, as circunstâncias determinaram dessa forma. Gostaria de ter um técnico de outubro de 2015 até aqui. Mas para isso teríamos de ter conquistado. Não é só culpa dos técnicos, é uma responsabilidade de todos.

Esporte