PUBLICIDADE
Topo

Jadson pede paciência, mas admite incômodo com futebol do Corinthians

13/02/2019 16h31

O Corinthians ainda não "encaminhou" nesta temporada. Após oito jogos disputados em 2019, essa é a avaliação de Jadson, um dos líderes do elenco. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, o meia admitiu incômodo com as atuações, mas pediu paciência para a torcida.

- Isso é normal. Chegaram vários jogadores para ajudar nossa equipe. O Carille está fazendo essas trocas para ver como os jogadores vão reagir. Para os jogadores entenderem a filosofia de trabalho às vezes demora um pouquinho, tem que ter paciência. Os jogadores com mais tempo de casa têm que acolher, conversar, para a gente voltar a jogar bem novamente - afirmou Jadson.

- Isso tem incomodado o grupo todo, comissão e torcedores. Oito jogos e a equipe ainda não encaminhou. Mas estamos trabalhando para melhorar. Acho que é questão de entrosamento. A torcida tem que ter um pouquinho de paciência. Temos que encontrar o caminho das vitórias, jogando bem, o mais rápido possível - acrescentou o jogador.

Jadson também falou sobre o próximo desafio do Corinthians, que na visão do técnico é o mais difícil até agora em 2019. Nesta quinta-feira, o Timão recebe o Racing (ARG), pelo duelo de ida da primeira fase da Copa Sul-Americana. A equipe argentina lidera o campeonato nacional e é vista como "encardida" pelo meia corintiano.

- A equipe deles já está formada, vem liderando o Campeonato Argentino. Vai ser um jogo duro, a equipe é muito entrosada, e a nossa ainda está buscando o aperfeiçoamento nos jogos. Deixamos a desejar um pouco nos últimos jogos, mas estamos trabalhando para melhorar. Tamara que a gente consiga a vitória para ganhar confiança para as competições - analisou Jadson.

- Sabemos que é um time encardido, que briga muito, não desiste. Mais ou menos a característica do Corinthians. Temos que igualar na vontade e dedicação, na parte tática, e com a bola jogar bem para conseguirmos uma vitória para dar tranquilidade para o jogo de volta - completou.

Aos 35 anos, Jadson pediu concentração para o Corinthians não cair na catimba do adversário. Nas últimas quatro eliminações do Timão em torneios sul-americanos, houve suspensões.

- Quando você vai jogar Libertadores ou Sul-Americana, às vezes os jogadores, não só da Argentina, têm essa mania de fazer catimba, e os brasileiros não têm essa manha de irritar. Me lembro bem do jogo contra o Racing, e também contra o Colo-Colo no ano passado, que o goleiro demora muito tempo para chutar a bola. Temos que estar concentrados, jogar bola e esquecer essa parte extracampo - disse.

Esporte