PUBLICIDADE
Topo

Depois de Lucão, L! relembra outros brasileiros reprovados em exames

13/02/2019 12h14

Na última terça-feira, uma notícia envolvendo Lucão pegou os torcedores do Corinthians de surpresa. O clube desistiu da contratação do zagueiro do São Paulo. A transferência do jogador de 22 anos, que passou por uma cirurgia no joelho esquerdo em agosto de 2018, era dada como certa pelos clubes até semana passada. O fato, contudo, está longe de ser inédito no Brasil.

A seguir, o LANCE! relembra outros dez casos no quais jogadores já tinham chegado a um acordo com clubes brasileiros ou do exterior, mas que, na última hora, devido à reprovação nos exames, não assinaram contrato. Confira:

RODRIGO CAIO

À época em grande fase no São Paulo, Rodrigo Caio foi requisitado por Valencia e Atlético de Madrid em 2015. Com o primeiro, o zagueiro chegou a assinar um pré-contrato, mas, já em Valência, acabou sendo reprovado em exames médicos, de acordo com o clube, por problemas no joelho: "Depois de considerados diferentes problemas na operação, que desaconselham a contratação".

Mais recentemente, ao programa Aqui com Benja, da Fox Sports, Rodrigo Caio afirmou que a história não é bem a externada pelo Valencia, uma vez que ele havia se frustrado com o contrato apresentado por seus empresários, que, segundo o defensor, possuía condições diferentes em relação à prévia do documento. Hoje no Flamengo, Rodrigo retornou para o São Paulo, na ocasião.

KLEBER GLADIADOR

Em abril do ano passado, Kleber Gladiador foi reprovado nos exames médicos realizados pelo Fluminense. O atacante tinha vínculo com o Coritiba e foi submetido a exames em um hospital da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele passou por avaliações ortopédicas, clínicas, musculares e cardiovasculares.

Atualmente no Austin Bold, dos Estados Unidos, Kleber tem histórico de problema nos dois joelhos - pelo próprio Coxa, passou por duas cirurgias no joelho esquerdo, em 2015 e 2017.

RAMONZINHO

E o Fluminense passou por uma situação parecida, porém com o caminho inverso. Quando estava com 19 anos, o apoiador Ramonzinho, do Fluminense, teve o seu empréstimo para o Real Madrid cancelado, em abril de 2018. O garoto criado em Xerém não passou nos exames médicos do gigante espanhol e, com isso, retornou ao Tricolor (sub-20) para ser reavaliado.

Ramon seria emprestado até junho de 2019, para atuar no Real Madrid B e com a possibilidade de compra ao fim do vínculo. No momento, Ramon está emprestado ao CSA, de Alagoas, que disputará a Série A do Brasileiro este ano.

WELLINGTON SILVA

Além de Ramon, outro jogador do Fluminense foi tentar (retornar) a carreira no exterior, porém um ano antes. Em 2017, Wellington Silva passou por uma reviravolta, quando estava de saída do Fluminense a caminho do Bordeaux, da França. O clube francês anunciou, pouco depois do acordo ser realizado, a desistência da contratação após o atacante nascido em 1993 não ter sido aprovado nos exames médicos em razão de uma inflamação no púbis.

Wellington Silva era considerado um fenômeno na base do Fluminense e, antes de completar a maioridade, foi negociado com o Arsenal. Rodou por diversos clubes da Espanha (e um da Inglaterra) e, hoje, defende o Internacional.

LUCAS SILVA

Em 2016, Lucas Silva viveu um drama na carreira. Isso pois seria emprestado pelo Real Madrid ao Sporting (Portugal), mas o clube luso rejeitou a negociação após os exames médicos apontarem que o brasileiro teria problemas cardíacos.

Em seguida, Lucas Silva realizou novos exames exames, nos quais não detectaram nenhuma anormalidade que o impedisse de jogar futebol, assim como ocorreu com o diagnóstico dos médicos do Cruzeiro, onde atua no momento e foi revelado.

NILTON

Outro volante que atuou com Lucas Silva passou por um problema parecido. Após ser campeão brasileiro com o Cruzeiro em 2013 e 2014, o volante Nilton foi negociado com a Internazionale. Nilton chegou a desembarcar em Milão, porém acabou por retornar ao Brasil por conta de problemas musculares do atleta.

A versão oficial, entretanto, dá conta de que a forma de pagamento entre os clubes foi o fator que emperrou o negócio. Hoje, Nilton está no Bahia.

ALEX

Em 2006, o zagueiro Alex, que fez carreira em Santos, PSV e Chelsea, deixou de ser contratado pelo Porto por causa de problemas em seus exames médicos. A informação se deu através do jornal português A Bola; os testes apontaram complicações na cartilagem do joelho direito do jogador, então com 34 anos.

Alex, em seguida, seguiu para os Blues e, em seguida, para o PSG. O zagueiro encerrou a carreira após a temporada 2015/16, com a camisa do Milan.

EVERTON

Em 2011, o volante Everton esteve próximo de deixar o Cruzeiro e ser emprestado ao Grêmio, porém voltou a treinar na Toca da Raposa 2 pouco depois. O jogador estava em recuperação de uma entorse no tornozelo esquerdo e foi reprovado nos exames médicos da equipe gaúcha. Por isso, continuou na Raposa. O atual clube de Everton é o Red Bull Brasil.

LIMA

Em 2009, o Flamengo passou por uma situação como essa. A diretoria do Rubro-Negro tinha tudo acertado com o zagueiro Lima, porém o jogador passou por exames na tarde e foi reprovado, dias depois. Assim, o defensor revelado pelo Atlético-MG, e que estava no Real Betis, não assinou com o Fla.

Hoje, aos 34 anos, Lima veste a camisa de outro clube mineiro: o América-MG.

THIAGO MOTTA

Um outro caso do futebol do exterior: depois de Thiago Motta ter sucesso no Barcelona durante anos, em 2008, ficou sem clube após o Atlético de Madrid retirar sua oferta de um novo contrato depois de uma temporada complicada no setor de tratamentos.

No entanto, graças a problemas em seu joelho, Thiago Motta ficou a ver navios diante de dois clubes, um inglês e um espanhol: Portsmouth e Racing Santander. Em ambas as oportunidades ele foi rejeitado em exames. Só em setembro ele foi para o Genoa, na Itália, onde obteve um grande sucesso e rumou para a Internazionale. Motta encerrou a carreira em alta, pelo PSG.

Esporte