PUBLICIDADE
Topo

Como Ronaldo usou sua fama e influência para fechar reforço para seu time

Ronaldo visita o Independiente del Valle junto com o dono do time, Michel Deller - Divulgação
Ronaldo visita o Independiente del Valle junto com o dono do time, Michel Deller Imagem: Divulgação
do UOL

Do UOL, em São Paulo

13/02/2019 04h00

Ronaldo ainda é novo na função de dono e maior acionista do Valladolid, mas de negócios ele entende. E também sabe muito bem como usar sua imagem, influência e a idolatria que desperta. Foi apostando nesse "pacote" que o ex-atacante da seleção brasileira fechou a primeira contratação para seu clube no fim do ano passado.

A parte final da negociação ilustra bem esse lado comerciante do brasileiro. No início de dezembro, três meses após o início das conversas pelo atacante Stiven Plaza, do Independiente del Valle (EQU), Ronaldo convidou o presidente e proprietário do clube equatoriano, o milionário Michel Deller, e o gerente, Santiago Morales, para um jantar em Madri.

Na mesa, eles chegaram à proposta final para o atacante de 19 anos trocar a América do Sul pelo futebol espanhol. Além de investir cerca de US$ 2 milhões (aproximadamente R$ 8 milhões), conforme noticiou a imprensa local, Ronaldo também colocou na negociação uma visita ao Equador. Ele mesmo iria buscar seu reforço.

No dia 10 de dezembro, o ex-atacante desembarcou em Quito com uma agenda cheia e regras claras para seus compromissos, segundo relato do "El País". Ronaldo foi até o complexo esportivo do Independiente del Valle, próximo à capital equatoriana, e concedeu uma entrevista coletiva.

Na sequência, como estava combinado, aguardou a saída dos jornalistas para conhecer a estrutura do clube. Outra exigência foi cumprida à risca: o brasileiro só tiraria fotos com os garotos do Independiente, sem transformar sua visita em uma sessão de fotos.

No dia seguinte, com a negociação fechada, Ronaldo teve até uma agenda política. Visitou o centro histórico de Quito acompanhado pelo prefeito da capital, Mauricio Rodas. A extensa rede de relacionamentos mostrava sua força.

Essa mesma rede, inclusive, foi responsável pelo início de todo o processo de compra de Stiven Plaza. No início de 2018, o jovem atacante havia se destacado no vice-campeonato da Libertadores sub-20, fazendo sete gols em cinco jogos.

Procurado por empresas maiores de agenciamento de jogadores, seu empresário, Jonathan Auer, fechou com o mesmo grupo que administra a carreira do lateral-esquerdo Marcelo. De acordo com Auer, foi assim que Ronaldo teve acesso a imagens de Stiven Plaza. Ainda em agosto, um mês antes de oficializar sua entrada no Valladolid, o brasileiro entrou em contato com o atacante.

Segundo o "El País", Ronaldo enviou seu amigo Cacá Ferrari a Quito para se encontrar com Plaza e Auer. Em um hotel, ele promoveu uma chamada em vídeo entre os envolvidos. Foi quando Ronaldo avisou o jovem atacante que ele queria levá-lo ao Valladolid.

Marcelo também entrou na história e, de acordo com Auer, fez um vídeo dizendo que estava esperando por Plaza no futebol espanhol. Ou seja, antes mesmo de assumir oficialmente o comando do Valladolid, Ronaldo já havia colocado sua influente rede de contatos em ação.

Esporte