Topo

Fla tem CT fiscalizado por 5 órgãos e nova perícia criminal por incêndio

Carro da Prefeitura, um dos responsáveis pela fiscalização, chega ao CT Ninho do Ururbu, do Flamengo - Vinicius Castro/UOL
Carro da Prefeitura, um dos responsáveis pela fiscalização, chega ao CT Ninho do Ururbu, do Flamengo Imagem: Vinicius Castro/UOL
do UOL

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

12/02/2019 11h23

O Flamengo recebeu cinco órgãos para fiscalizações nesta terça-feira (12) após o incêndio que tirou a vida de dez meninos das categorias de base. Estiveram no CT Ninho do Urubu: Corpo de Bombeiros, Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública, Prefeitura e Polícia Civil.

O objetivo foi fiscalizar as instalações definitivas do centro de treinamento para profissionais e base. As autoridades estão atrás de respostas sobre as condições de trabalho e segurança.

O Flamengo precisa do aval dos órgãos responsáveis e das regularizações necessárias para que o CT volte a receber os jovens e sirva novamente como alojamento.

Já a área do incêndio foi novamente alvo de peritos criminais. Eles investigam as causas do incêndio e responsabilidades. O caso está sendo tratado pela 42a Delegacia Policial.

O time profissional treinou no local durante a vistoria e se prepara para o Fla-Flu de quinta-feira pela semifinal da Taça Guanabara. O meia Diego foi o primeiro jogador a falar sobre a tragédia e interrompeu a entrevista coletiva por conta da emoção.

A segurança foi reforçada no centro de treinamento em Vargem Grande, zona oeste do Rio de Janeiro.

Mais Esporte