Topo

Dirigente revela que Cristiano Ronaldo escolheu a Juventus em abril de 2018

Massimo Pinca/Reuters
Cristiano Ronaldo abre o placar para a Juventus contra o Parma Imagem: Massimo Pinca/Reuters

12/02/2019 14h24

Roma, 12 fev (EFE).- O diretor esportivo da Juventus, Fabio Paratici, revelou que o português Cristiano Ronaldo aceitou assinar com a 'Velha Senhora' em abril do ano passado, antes da partida de volta das quartas de final da Liga dos Campeões, na qual o Real Madrid eliminou o clube italiano.

Paratici explicou que se reuniu em abril no estádio Santiago Bernabéu com o agente de CR7, o português Jorge Mendes, que comentou que a transferência do jogador era mais provável do que se poderia pensar, segundo contou o dirigente em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal "Gazzetta dello Sport".

"Mendes olhou para mim e disse: 'Você não vai acreditar, mas se o Cristiano sair, quer ir para a Juventus. É menos estranho do que você pode imaginar. Depois conversamos'", relembrou Paratici.

Meses depois, Mendes voltou a se encontrar com Paratici para fechar a contratação do lateral-direito português João Cancelo pela Juventus. Na ocasião, disse explicitamente que a vontade de Cristiano era ir para o clube.

"Entendi que era sério. 'Lembra do que te falei (em abril)? Vai ver que Cristiano vai sair do Madrid. Digo claramente, ele só quer ir para a Juventus. Cristiano jogou no Manchester United, depois no Real Madrid. Só em equipes históricas. Nunca jogou na Itália, mas quer ganhar o título lá também. Se ele quer, está disposto'", afirmou Paratici, resumindo o que Mendes havia explicado.

Em seguida, Mendes informou a Paratici sobre as condições necessárias para contratar Cristiano: 112 milhões de euros para a transferência e 31 milhões de euros líquidos por cada uma das quatro temporadas em Turim, o que o diretor propôs ao presidente, Andrea Agnelli, antes autorizar a operação.

Com todos os detalhes acertados, a Juventus fechou uma contratação histórica, o maior investimento da história do futebol italiano.

Segundo Paratici, trazer CR7 era uma maneira de voltar a motivar uma equipe que, após ganhar sete títulos consecutivos do Campeonato Italiano, perdeu o goleiro, capitão e ídolo, Gianluigi Buffon, que assinou com o Paris Saint-Germain.

O dirigente também informou que o técnico Massimiliano Allegri, cujo nome foi ventilado no Real Madrid nos últimos meses, não sairá da Juventus, assim como o atacante Paulo Dybala.

"Dybala fica. Da Juventus só saem os que pedem. Com os jogadores que temos, difícil achar melhores. Quem é melhor que Dybala? Talvez Messi. Neymar, eu teria dúvidas. Além disso, Dybala sempre está disponível, joga todas as partidas", argumentou. EFE

Mais Esporte