PUBLICIDADE
Topo

Detalhes e desempenho individual ruim complicam o Santos no Uruguai

12/02/2019 21h06

O Santos não começou bem na Copa Sul-Americana. Alguns detalhes e uma atuação individual ruim da maioria dos titulares do técnico Jorge Sampaoli complicaram o Peixe na estreia da competição internacional - no jogo de volta, marcado para o dia 26 de fevereiro, com portões fechados no Pacaembu, o argentino não terá o lateral-esquerdo Orinho à disposição, após cartão vermelho. Por enquanto, um ruim 0 a 0 contra o River Plate-URU.

Em campo em Montevidéu, o Santos manteve sua filosofia de jogo contra um fraco River Plate: posse de bola, permanência incisiva no campo de ataque e busca constante pela jogadas verticais à frente. O problema é que o desempenho de peças cruciais esteve aquém do esperado.

No primeiro tempo, o problema foi o lado esquerdo. Com uma partida abaixo de Orinho, o colombiano Jonathan Copete, escalado para atuar no ataque, preocupou-se mais em marcar e cumpriu melhor um papel defensivo. Foi o responsável por alguns cruzamentos à frente, deixando a área sem referência.

Quando teve a chance parar marcar, após receber bom passe de Derlis González, desperdiçou. Na etapa complementar, até chegou a marcar, mas o tento foi anulado pelo árbitro. O paraguaio, por sua vez, foi o caminho de lucidez da equipe em solo uruguaio.

Veloz e driblador, Derlis protagonizou bons lances, deixando os companheiros de frente para o gol e também finalizando. Mesmo assim, não conseguiu balançar as redes e viu os colegas fracassarem na mesma missão. Mostrou vontade e entrega em cada lance, safando-se do cenário individual ruim.

Chamou a atenção, por exemplo, as três chances desperdiçadas por Diego Pituca, sempre tão atento ao jogo. O volante ficou por três vezes de frente para o gol, em todas com boas condições de chute. Mandou duas para fora e outra fraca, para a fácil defesa do goleiro adversário. Sánchez também deu chance para Gastón Olveira se destacar.

Jean Mota, até aqui artilheiro do Peixe no Paulistão, com cinco gols, e destaque da equipe em 2019, passou despercebido com a camisa 8 nas costas. Foi substituído para a entrada de Matheus Ribeiro, lateral responsável por compor a defesa após vacilo de Orinho. O ala fez falta na beira da área, após errar no passe e na marcação, e acabou expulso para a decepção de Sampaoli.

Do jogo, o plantel pode tirar lições para não repetir no duelo de volta. Reforçar o elenco com a contratação de um novo lateral-esquerdo e uma referência para atuar no campo de ataque também são alertas que ficam para a diretoria alvinegra, se almeja objetivos maiores e a satisfação de Sampaoli no clube. Zerado, o Peixe tem totais condições de buscar a vaga no Brasil.

Esporte