Topo

Com negociação aberta, Corinthians e Romero discutem desavença por dólar

Romero recebe US$ 100 mil por mês (R$ 370 mil), mas já ganhou bem mais no clube - Marcello Zambrana/AGIF
Romero recebe US$ 100 mil por mês (R$ 370 mil), mas já ganhou bem mais no clube Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
do UOL

Arthur Sandes e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

12/02/2019 04h00

A diretoria do Corinthians e estafe de Romero retomaram as negociações para a renovação contratual do paraguaio. A notícia foi publicada inicialmente pelo site Meu Timão e confirmada pelo UOL Esporte.

O salário em dólar é um dos principais motivos do imbróglio que envolve o caso. Segundo apurou o UOL Esporte, o atacante recebe US$ 100 mil por mês (R$ 370 mil), mas já chegou a receber R$ 419 mil, quando o dólar chegou a R$ 4,19 na temporada passada.

Os dirigentes corintianos entendem que o acordo em dólar foi uma falha do clube em junho de 2014 e querem corrigir o contrato. Na ocasião, o atacante chegou com o ordenado de R$ 220 mil aproximadamente pois US$ 1 valia pouco mais de R$ 2.

Inicialmente, para renovar o contrato com o Corinthians que termina em julho deste ano, Romero pediu aumento salarial e mais "luvas", premiação para assinar o novo vínculo.

O estafe do atleta alega que o valor não é "nada demais". O Corinthians, por sua vez, não gostou da pedida e avisou que não concederia R$ 1 sequer de reajuste ao paraguaio. Por conta disso, a negociação ficou travada por semanas.

Agora, os dirigentes do clube alegam nos bastidores que o Corinthians aceitara renovar pelo mesmo valor que o jogador recebe atualmente, ou seja, US$ 100 mil por mês (R$ 370 mil).

Outra opção é conceder um salário fixo em "moeda brasileira" e aceitar o pedido de "luvas" do paraguaio, mas sem fugir do valor que Romero ganha atualmente ou que ultrapasse o teto salarial do clube.

Na semana passada, Romero cobrou uma definição do clube paulista pois teme perder a Copa América de 2019, que será disputada no Brasil entre 14 de junho e 7 de julho. O paraguaio acredita que o fato de estar sem atuar pode influenciar na convocação do técnico da seleção paraguaia, Juan Carlos Osorio.

Mais Esporte