Topo

Com dupla de pilotos 100% renovada e mesma pintura, Toro Rosso lança carro

Divulgação
Toro Rosso terá pelo segundo ano motores Honda nesta temporada Imagem: Divulgação
do UOL

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

11/02/2019 11h45

A Toro Rosso apresentou nesta segunda-feira seu carro para a temporada 2019 da Fórmula 1, juntamente de sua equipe 100% renovada, com o russo Daniil Kvyat e o estreante tailandês Alex Albon. O novo carro conta com as novas dimensões determinadas pelo regulamento, que deixou as asas mais largas, altas e simples, a fim de 'limpar' o ar e ajudar um carro a seguir o rival de mais perto, criando mais chances de ultrapassagens. Na asa dianteira, a largura e altura aumentaram em 20cm, e ela estará 25cm mais à frente que em 2018. Já a asa traseira 'sobe' 2cm, tem aumento de 10cm de largura e a abertura do DRS ganha também 2cm, aumentando seu potencial em cerca de 25%. Outra mudança importante é o aumento do limite de combustível de 105kg para 110kg, permitindo que os pilotos forcem mais durante as corridas.

Porém, apesar de terem lançado fotos antes de times grandes, como Ferrari, Mercedes ou a própria parceira Red Bull, a Toro Rosso apresentou um modelo ainda pouco desenvolvido em algumas áreas, como nos apêndices aerodinâmicos da lateral, ou bargeboards, e deve aparecer diferente já no primeiro teste.

Já em termos de visual, foi mantido o tom de azul mais claro em relação ao da Red Bull, com detalhes em vermelho e prateado.

A Toro Rosso foi uma das quatro equipes que mudou totalmente sua dupla de pilotos para a temporada 2019, trazendo de volta o russo Daniil Kvyat e promovendo a estreia do tailandês Alex Albon, depois de perder Pierre Gasly para a Red Bull e demitir Brendon Hartley, contratado como piloto de testes pela Ferrari.

A volta de Kvyat acontece cerca de um ano e meio depois de sua demissão, depois que o russo já tinha sido rebaixado da Red Bull para a Toro Rosso no meio da temporada 2016. Para o chefe Franz Tost, sua ida para o time principal foi precipitada e isso atrapalhou sua carreira. "Sempre digo que um piloto precisa de dois ou três anos para entender o complicado mundo da F-1, mas Daniil mostrou sua velocidade e, quando veio o pedido do comando, sentimos que ele estava pronto. Mas agora podemos dizer que foi cedo demais."

Já Albon, que vem do terceiro lugar no campeonato da Fórmula 2 ano passado, tentará usar uma experiência inusitada para começar bem o ano: o teste que fez com a Fórmula E, uma vez que estava acertado para disputar a categoria com a Nissan até receber o chamado da Toro Rosso, em outubro. "Não diria que a tecnologia é a mesma, mas as similaridades são impressionantes", disse o piloto, que nunca correu com um motor híbrido, como o usado na Fórmula 1. "É um salto muito grande da F-2 para a F-1, mas não acho que a maior velocidade vai ser um problema, mas sim me acostumar com a largura muito maior do carro."

O time vem da nona e penúltima colocação ano passado, apesar de ter obtido o quarto lugar, com Gasly, no GP do Bahrein, igualando seu melhor resultado desde sua única vitória, conquistada por Sebastian Vettel no GP da Itália de 2008.

Divulgação
Imagem aérea da nova Toro Rosso Imagem: Divulgação

Para 2019, a expectativa é de que o time suba de produção, uma vez que os resultados do ano passado foram atrapalhados pelas punições sofridas por trocas de motor, dentro da estratégia usada pela Honda de desenvolver ao máximo seu equipamento, trazendo novidades constantemente, e com isso provocando punições. A estratégia, contudo, parece ter dado certo e é esperado que o motor japonês seja o terceiro melhor em 2019, superando a Renault. Isso porque, além do desenvolvimento feito no ano passado, o investimento da Honda será ainda maior devido ao início da parceria com a Red Bull, que também é dona da própria Toro Rosso.

O fato das duas equipes usarem o mesmo motor também facilita a troca de informações e designs entre as fábricas de Faenza, na Itália, onde está sediada a Toro Rosso, e Milton Keynes, na Inglaterra, onde fica a Red Bull. "O projeto de sinergia vai permitir para nós dar um passo em termos de performance sem aumentar o número de funcionários", explicou o chefe da Toro Rosso, Franz Tost. "Vamos comprar peças e focar mais no design e na produção das demais. Componentes relacionados à unidade de potência terão a mesma especificação das usadas pela Red Bull e a maior parte do restante das peças que receberemos deles serão do ano passado."

O lançamento é o primeiro de vários que acontecerão nesta semana, uma vez que os testes da pré-temporada começam na próxima segunda-feira, dia 18 de fevereiro, em Barcelona, na Espanha

Confira o calendário de lançamentos dos carros da F-1

Williams e Toro Rosso: 11.02
Renault: 12.02
Mercedes, Red Bull e Racing Point: 13.02
McLaren: 14.02
Ferrari: 15.02
Alfa Romeo e Haas: 18.02
 

Mais Esporte