PUBLICIDADE
Topo

Honrou o nome! Náutico e Santa Cruz empatam no Clássico das Emoções

09/02/2019 21h29

O torcedor que acompanhou de alguma forma o Clássico das Emoções entre Náutico e Santa Cruz pela quarta rodada do Nordestão pode alegar muitas coisas, menos falta de emoção. Honrando o apelido dado ao confronto, os gigantes de Recife fizeram um belo confronto nos Aflitos que terminou empatado em 2 a 2.

Pensando na classificação dos grupos da Copa do Nordeste, as duas equipes saíram com a sensação de terem deixado escapar uma boa oportunidade de colarem nos líderes. Enquanto o Timbu vai aos cinco pontos e fica em quinto lugar no Grupo B, a duas unidades do ponteiro Ceará, o Santa, também com cinco pontos, se iguala ao líder do Grupo A Salgueiro, mas fica em desvantagem no saldo de gols (-1 do time Coral contra 1 do Carcará).

COMEÇOU BEM E CONVERTEU

Mesmo com poucos minutos já foi possível perceber uma tranquilidade e coerência maior da movimentação ofensiva por parte do Santa. Situação essa que os visitantes capitalizaram aos nove minutos quando, ao receber passe vindo do lado esquerdo do ataque de Allan Dias, Pipico mostrou muita categoria fintando a marcação e batendo no canto esquerdo do goleiro Bruno.

ACORDOU

O tento não só obrigou os donos da casa a saírem mais para a partida como também acabou fazendo bem ao jogo no sentido de acrescentar bastante emoção. A movimentação principalmente de Wallace Pernambucano atraindo a zaga Coral facilitava com que outras peças como Thiago, Robinho e Jorge Henrique fizessem Ricardo Ernesto trabalhar.

PEIXINHO DA IGUALDADE!

Aos 26 minutos, as tentativas de infiltração do Timbu foram recompensadas. Wallace Pernambucano saiu bem da área e, com espaço, conseguiu cruzar na medida para a cabeçada certeira de Jorge Henrique, sem chances de defesa para Ricardo Ernesto.

CIRÚRGICO NOVAMENTE

A movimentação defensiva do Náutico, problema já ressaltados seguidas vezes no começo de 2019, foi novamente explorado pelo Santa Cruz na volta do intervalo.

De novo na base da velocidade com Allan Dias, o time do Arruda chegou com perigo e, no chute cruzado do camisa 10, Pipico foi oportunista e só tocou para as redes, indo comemorar com o grande contingente de tricolores presentes no Estádio dos Aflitos.

CRESCEU O SANTA, MAS...

O gol visivelmente abalou os donos da casa e deu uma interessante dose de confiança ao time de Léston Júnior. Não à toa, com chutes de Allan Dias e Elias Carioca, a Cobra Coral desperdiçou oportunidades incríveis de ampliar sua dianteira. Algo que custaria caro na segunda metade da etapa complementar...

... QUEM FEZ FOI O ALVIRRUBRO

Se o lado visitante não aproveitou a superioridade no momento do clássico, os anfitriões contaram com uma boa dose de sorte para novamente deixar o placar empatado. Aos 22 minutos, o volante Luiz Henrique chegou bem pelo lado direito e, depois do cruzamento, o zagueiro Vitão tentou afastar e acabou mandando contra o próprio patrimônio.

EMPOLGAÇÃO MUDA DE LADO

Assim como o Santa Cruz teve seu momento de injeção de ânimo até sofrer o tento da igualdade, mesmo por acidente o gol do Náutico fez o volume da torcida do Timbu e a força da equipe da casa dentro de campo crescerem exponencialmente.

Na melhor oportunidade para marcar o gol da vitória, em outra jogada pela direita do ataque, Ricardo Ernesto soltou a bola que espirrou no pé de Robinho, mas saiu lentamente ao lado da trave esquerda da meta tricolor.

Esporte