PUBLICIDADE
Topo

"Se não fossem africanos, Eto'o e Drogba seriam Bola de Ouro", diz Partey

Desde 2015 no Atlético de Madrid, ganês Thomas Partey tem 125 pelo clube - Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images
Desde 2015 no Atlético de Madrid, ganês Thomas Partey tem 125 pelo clube Imagem: Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images

07/02/2019 17h46

Uma das peças importantes do Atlético de Madrid nas últimas temporadas, o meio-campista Thomas Partey continua ganhando espaço na equipe colchonera. Apontado como um dos grandes jogadores africanos da nova geração, o ganês afirmou que os atletas de seu continente são desvalorizados.

Em entrevista ao jornal espanhol Mundo Deportivo, Partey declarou que jogadores famosos como o camaronês Samuel Eto'o e o marfinense Didier Drogba seriam eleitos melhores do mundo se fossem jogadores europeus e não africanos.

"Normalmente valoriza-se mais os jogadores europeus do que os africanos. Já tivemos muitos jogadores de qualidade como o Yaya Touré e o Michael Essien, que acabam por ser vistos como 'bons', apenas. Como são da África, não os colocam no nível de um Modric, Messi ou mesmo do Cristiano Ronaldo. Os exemplos do Eto'o e do Drogba são gritantes: marcaram muitos gols e podiam ter ganho a Bola de Ouro, mas nunca os colocaram nesse nível", disse. 

Partey sustentou sua posição mais uma vez quando foi perguntado se os jogadores africanos são reconhecidos mais pela força física do que pela técnica: "Não sei, creio que somos valorizados por recuperar bolas, por dar um bom passe, mas também temos gols e muitas outras coisas. Se nos comparam com um jogador europeu, parece que valorizam mais do que alguém que veio da África". 

O próximo compromisso do Atlético é contra o Real Madrid, no Wanda Metropolitano. O time de Simeone tentará manter a segunda colocação do Campeonato Espanhol, uma vez que está somente dois pontos à frente do rival, com 44 pontos contra 42 dos madridistas.

Questionado sobre qual centroavante será mais decisivo no dérbi, Partey espera que seja o recém-contratado Álvaro Morata. "A torcida não está esperando muito dele porque Griezmann está fazendo muitos gols agora. Creio que Morata tem muita qualidade, é um atacante que quer fazer muitos gols para mudar a dinâmica que tinha, e acho que isso nos ajudará muito."

A pequena vantagem do Atlético para o clássico é o novo estádio. Desde sua inauguração, nem Barcelona nem Real Madrid conseguiram vencer lá. Além disso, o Atleti está invicto em sua nova casa nesta temporada; não apenas no Campeonato Espanhol, mas também na Copa do Rei e na Liga dos Campeões. Ao todo, foram 16 jogos, com 13 vitórias, três empates, 33 gols marcados e somente oito sofridos. 

"Sim, em Wanda sabemos que temos que ganhar ou ganhar. Quando estamos sofrendo, a torcida nos anima e nos levanta, isso nos ajuda e nos mantermos fortes e por isso tentamos ganhar todas as partidas, ou se estamos perdendo, tentamos empatar. Realmente notamos o apoio da torcida. Quando estamos mal, fazemos alguma coisa boa e os vemos gritando, nos animando e isso te faz mais forte, te dá confiança para seguira trabalhando para conseguir aquilo que todos queremos", explicou. 

No Atlético de Madrid desde 2015, Thomas Partey tem 125 partidas com a camisa Colchonera, com 11 gols marcados, dez assistências e foi campeão da Liga Europa e da Supercopa Europeia. 

Esporte