PUBLICIDADE
Topo

Júnior Urso vê lacuna no Corinthians e não teme ser taxado de 'corintiano'

05/02/2019 12h39

"Vai, Corinthians!".

Essas foram as primeiras palavras de Júnior Urso assim que sentou na sala de imprensa do Corinthians para ser apresentado como reforço do clube. Foi um pedido para testar o som do microfone e o jogador não hesitou em dar mais uma demonstração de sua paixão pelo time de infância. Urso está empolgado com a chance de defender o Timão e já projeta onde vai se encaixar na equipe de Fábio Carille, na qual ele enxerga uma lacuna: um volante rompedor de linhas, como se define.

- Eu estou bem, ainda não o ideal, preciso melhorar ainda. Penso que vai funcionar bem, sou o tipo de volante que rompe essas linhas, acho que todo clube precisa de um jogador assim. Então acho que vai cair bem no clube. Assisti aos jogos, vi que de repente falta algo assim, alguém chegando de surpresa ali - afirmou Urso.

- Vejo como uma disputa interessante (por posição), até porque todo mundo tem uma característica diferente. Eu venho para agregar nessa situação, que de repente não sei se falta ou se não estão fazendo, que é esse rompimento das linhas, de chegar ao ataque, com força. Assisti contra o Palmeiras, e achei que várias vezes eles deram essa oportunidade, de chegar ali. Consegui me enxergar ali, claro que de fora, mas de dentro também tenho essa leitura, acho que está faltando um pouco - completou o jogador de 29 anos, que assinou contrato válido por três temporadas.

Júnior Urso mostrou muita personalidade na entrevista. Tocou no ponto de ter revelado que é torcedor do Corinthians quando foi contratado e disse que não se importa caso isso venha a fechar portas no futuro, em outros clubes, mas admite que o peso será maior.

- O que pressiona é o fato de eu ter exposto para todos, minha vida. Eu tenho de ir bem para a oportunidade que eu tenho, porque de repente se eu não for bem, pode fechar portas em outros clubes. Mas nem penso em outros lugares, minha ideia é permanecer aqui o máximo possível. Espero que Corinthians e Urso caminhem bem para títulos que a torcida vai apoiar - declarou o jogador.

Confira outros trechos da entrevista do décimo reforço corintiano para a temporada 2019:

Sensação de reforçar o Corinthians

Estou muito feliz, difícil explicar o que estou sentindo. Inexplicável vestir essa camisa, para mim e minha família, que sempre sonhou com esse momento. Feliz por representar a essa torcida, muito grato também a quem se esforçou para eu vir. Não precisou muito, porque a partir do momento que eles me contactaram já foi suficiente para eu estar aqui.

Como a família recebeu a notícia?

Foi um choque positivo. Algumas pessoas falaram para eu esconder isso, ser o profissional, mas para mim é impossível. Toda minha família é corintiana. Sempre sonhei com esse momento. Minha família toda é fanática. Meu irmão tem uma tatuagem do Corinthians. Sempre acompanhei pela televisão, porque jogando era difícil ver. Nunca deixei de acompanhar

Abriu mão de dinheiro para fechar?

Digamos que sim. Saí da China com situação bem encaminhada para voltar ao Brasil. Aí surgiram algumas coisas, eu não sabia de nada, assimilando o que fazer, aí a partir do momento que recebi a ligação, contato direto do clube, mudou meu pensamento, independente de valores. É aqui que eu queria estar, estou muito feliz, isso superou qualquer valor.

Qual a origem do apelido Urso?

Na base, eu sempre tinha esse cabelo, trançado. Mas um empresário meu disse que eu não podia chegar nos times assim. Aí tirei, o cabelo grande, e quando comecei a pegar na bola, já começaram a chamar de urso. E também descobriram que eu durmo muito, aí pegou. Eu gosto, tinha muito Júnior, diferencia. Quando colocar no Google, virá meu nome (risos).

Esporte