PUBLICIDADE
Topo

Ribamar mostra disposição no Vasco, mas ainda peca nas finalizações

04/02/2019 07h00

O Vasco venceu o Fluminense pelo placar mínimo na última rodada da Taça Guanabara, mas a contagem poderia ter sido maior. Na partida realizada no último sábado, no Mané Garrincha, Ribamar desperdiçou uma chance clara de gol, quando recebeu a bola após uma saída errada do goleiro Rodolfo e, mesmo sem ninguém na meta Tricolor, ficou indeciso e não finalizou.

Esse lance, que ocorreu no final do primeiro tempo, poderia ter colocado o Vasco com uma vantagem de dois gols no placar e, por consequência, deixar a equipe mais tranquila para a etapa complementar. O Cruz-Maltino não dobrou o saldo no placar e viu o Fluminense chegar com força, chegando a acertar o travessão nos minutos finais do duelo.

No fim, o Vasco confirmou a vitória e assegurou a primeira colocação do Grupo B da Taça Guanabara - consequentemente, o Cruz-Maltino terá a vantagem do empate na semifinal do primeiro turno do Campeonato Carioca. A partida, porém, evidenciou um problema de Ribamar: a qualidade nas finalizações.

O camisa nove, um dos reforços da equipe para a atual temporada, participou de quatro partidas da fase de grupos da Taça Guanabara. Apesar de mostrar disposição e incomodar os zagueiros com sua movimentação e força física, o atacante ainda não balançou as redes, apesar de ter chance para tal - principalmente contra o Madureira, no primeiro jogo da temporada.

Os números evidenciam que Ribamar se mostra útil. É comum ver o camisa nove sair da área, fazer pivô e ser uma dor de cabeça para os adversários no campo de defesa. Até aqui, ele fez dois desarmes e distribuiu uma assistência, mas ainda possui uma relação ruim com as finalizações: de onze finalizações, quatro foram na direção do gol e sete foram para fora, o que representa cerca de 35% de aproveitamento no quesito.

Com o retorno de Maxi López, que fez sua estreia na temporada diante do Fluminense, é provável que Ribamar fique na reserva com o passar do tempo, mas, apesar disso, o camisa 9 terá importância em um elenco sem muitas opções para o setor, podendo ser opção para o argentino. Para isso, é necessário que o atleta de 21 transforme a disposição em campo em gols.

Esporte