PUBLICIDADE
Topo

Organizado, rápido e objetivo: como o Fluminense tem surpreendido neste início de temporada

31/01/2019 10h48

Sem Júlio César, Ayrton Lucas, Gum, Richard, Jadson, Marcos Junior e Sornoza, negociados, e Gilberto e Pedro ainda machucados, além de Digão, que se lesionou na estreia, o Fluminense iniciou o ano como uma incógnita. Entre todas as mudanças na equipe, entretanto, a maior parece estar no banco de reservas: a chegada do técnico Fernando Diniz.

Sob o comando do treinador, a baixa expectativa aos poucos vem dando lugar à esperança. Com poucos reforços, mas mostrando organização e ótimo toque de bola, a equipe tem sido uma das gratas surpresas neste início de temporada. Não só pelos resultados - três vitórias e um empate -, mas pelo bom desempenho.

Mais do que posse de bola, principal característica das equipes de Diniz - com 64% de média, tem a mais alta entre os quatro grandes -, o Tricolor tem se mostrado ofensivo e objetivo em campo. Foram 2112 passes certos trocados - líder do fundamento -, onze deles resultando em gols, a melhor marca do Carioca. Ou seja, o time não apenas gira a bola, ele cria quando tem ela.

Aírton é o maior passador do campeonato, com 297 acertos, seguido por Matheus Ferraz (245), os laterais Ezequiel (222) e Mascarenhas (212) e o meia Danielzinho (171), uma sequência de passes que mostra bem a dinâmica do time em campo. O volante se posiciona entre os zagueiros, facilitando a saída, por isso a troca alta entre os dois. Em seguida, abre os jogo para as laterais, que buscam a triangulação ofensiva com o meia mais organizador, que neste caso é Daniel, principal garçom da competição com três gols.

Essa estrutura, com os laterais mais avançados, muito próximos dos externos, ajuda a formar duelos individuais que favorecem o ataque, uma das especialidades do time. Com jogadores habilidosos e rápidos, como Everaldo, Bruno Silva e Yony González, além dos próprios laterais, o time é o que mais utilizou o drible no Estadual. Segundo o Footstats, já são 28 tentativas e 20 acertos, quase o dobro do Flamengo, segundo colocado no fundamento, com 12 fintas completadas.

Impondo seu jogo desde a saída de bola e criando vantagens ofensivas com o uso dos laterais e pontas, o Flu tem chegado ao ataque em condições reais de marcar. Com 12 gols em 63 tentativas, o Tricolor tem o maior aproveitamento de bolas na rede por finalização do Carioca - um gol a cada 5,2 arremates. Destaque para o Yony, autor de quatro tentos e maior finalizador da competição, com 14 - nove no alvo.

Organizado na transição, rápido e habilidoso na construção e eficiente na finalização, o Fluminense de Fernando Diniz inicia 2019 surpreendendo positivamente.

FLUMINENSE NO CARIOCA

- Dados do Footstats

4 jogos

12 gols marcados

2 gols sofridos

11 passes para gol

44 assistências para finalização

27 finalizações em gol

36 finalizações para fora

?46 desarmes certos

2112 passes certos

123 passes errados

21 viradas de jogo certas

2 viradas de jogo erradas

20 dribles certos

8 dribles errados

Esporte