PUBLICIDADE
Topo

Aguirre, Rivaldo, R10...Relembre reforços badalados que saíram como decepções de seus clubes

31/01/2019 17h19

O centroavante Rodrigo Aguirre chegou ao Botafogo sob grande expectativa. Emprestado ao Nacional-URU pela Udinese - que havia pagado 4 milhões de euros pelo jogador em 2014 - o atacante teve grande destaque tanto no Campeonato Uruguaio, quanto na Copa Libertadores de 2017.

Especulados em vários clubes, como o River Plate e o Fluminense, Aguirre escolheu o Botafogo e desembarcou em General Severiano com status de solução para o ataque alvinegro. O paraguaio entrou em campo com a camisa do Botafogo em 25 partidas realizadas, sendo titular em oito, com apenas um gol marcado. Veja outras contratações bombásticas que saíram sem deixar saudades:

Rivaldo no Cruzeiro

Insatisfeito com a reserva no Milan, principalmente, após a chegada de Kaká e com o técnico Carlo Ancelotti, Rivaldo decidiu retornar ao Brasil, no início de 2004, por indicação do técnico Vanderlei Luxemburgo. O treinador conseguiu convencer o meia a descartar propostas europeias para jogar no Cruzeiro. Rivaldo era a grande contratação do clube mineiro para Libertadores.

Contudo, a passagem pela Raposa passou longe do esperado. O meia jogou somente onze jogos e fez apenas dois gols. Após pouco tempo, Rivaldo decidiu deixar o Cruzeiro por fidelidade a Vanderlei Luxemburgo, que foi demitido um dia antes do clássico contra o rival Atlético Mineiro, após desentendimento com a diretoria do clube mineiro.

Alexandre Pato

O Corinthians vinha de um título Brasileiro (2011), uma Libertadores e um Mundial, estes conquistados em 2012. Quando Alexandre Pato chegou ao clube no início de 2013 por R$ 40 milhões, o domínio do time paulista parecia que ia longe. Não foi bem assim.

O jogador nunca conquistou identificação com a torcida ou com o técnico Tite. A relação chegou ao fundo do posso após a eliminação do Corinthians para o Grêmio pela Copa do Brasil, quando o camisa sete perdeu um pênalti numa cavadinha no mínimo esdrúxula. Ele acabou emprestado ao São Paulo, com metade dos salários pagos pelo Alvinegro durante um ano. De volta ao Parque São Jorge no começo de 2016, mal vestiu a camisa do time e foi para o Chelsea, mais uma vez emprestado.

Ronaldinho Gaúcho no Fluminense

Não que Ronaldinho vivesse uma grande fase antes de chegar ao Fluminense. O jogador não atuava há dois meses antes de chegar às Laranjeiras, em junho de 2015. Mas era impossível não criar expectativa pelo Bruxo, que acabou encerrando sua passagem pelo Tricolor apenas 80 dias depois.

Na época, dizia-se faltava ao jogador vontade de jogar futebol. Isso, aliado ao comportamento anti-social dentro do elenco, à má fase do Fluminense naquele ano e à falta de oportunidades no time titular, encerrou a decepcionante passagem do eterno showman no clube carioca.

Adriano no Corinthians e Atlético-PR

A passagem de Adriano pelo Corinthians chegou ao fim em 2012 e não deixou

muitas saudades nos torcedores do timão. O atacante até fez um importante gol contra o Atlético-MG, na campanha do título Brasileiro de 2011, mas não conseguiu entrar em forma e muito menos ser o jogador que a comissão técnica, a diretoria e a torcida esperavam que ele fosse.

Após a passagem pelo clube paulista, o Imperador ficou quase dois anos longe do futebol. Foi quando o Atlético-PR, no início de 2014, resolveu dar uma nova chance ao jogador. Adriano entrou em campo pelo pelo CAP quatro vezes, duas delas na Libertadores daquele ano, mas foi dispensado após faltar dois treinos seguidos e ser visto num show da cantora Anitta, em Curitiba.

Alex no Flamengo

Em 2000, com o aporte financeiro da então parceira ISL, o Flamengo anunciava a contratação do meia Alex, que se juntaria a outros badalados reforços como Gamarra, Denílson, Petkovic e Edílson.

Alex chegava à Gavea após uma fraca participação nas Olimpíadas de Sidney. Além do mau momento do jogador, o Flamengo o elenco estrelado como um todo não vinha bem na Copa João Havelange daquele ano. Presença constante entre os reservas, o jogador voltou ao Palmeiras em 2001. Pelo rubro-negro, Alex disputou 12 jogos e marcou três gols, um deles contra o Vitória, em seu último jogo no Fla.

Diego Souza no Atlético-MG

Após um 2009 espetacular pelo Palmeiras, sendo o melhor jogador do Campeonato Brasileiro e chegando à Seleção Brasileira, sem repetir as boas atuações, Diego Souza entrou em guerra com a torcida no ano seguinte.

Afastado após episódio em que mostrou os dedos do meio ao ser substituído, o jogador foi negociado pela Traffic com o Atlético-MG, que pagou 3 milhões de euros pelo atleta. Em Minas, porém, foi uma grande decepção. Sem jamais justificar o valor investido em sua contratação, chegou a esquentar o banco de reservas em muitos jogos. Entre 2010 e 2011, o atleta vestiu a camisa do Galo em 33 jogos e fez 5 gols.

Leandro Damião no Santos

Leandro Damião chegou ao Santos no fim de 2013. À época com 24 anos, o jogador era celebrado como um dos principais centroavantes do país. Seu auge tinha sido em 2011, quando terminou a temporada com 38 gols pelo Internacional, mas ainda despertava o interesse de clubes nacionais e estrangeiros.

Sob o efeito da venda de Neymar, que havia saído seis meses antes, o clube investiu mais de R$ 40 milhões. Em 44 jogos disputados em 2014, marcou apenas 11 gols e passou a ser emprestado para diversos times, na busca do Santos por recuperar o investimento. Além de não deixar saudades dentro de campo, deixou dor de cabeças financeiras ao alvinegro, que depois de inúmeros imbróglios judiciais, foi condenado a pagar R$ 4,5 milhões ao jogador.

Esporte