PUBLICIDADE
Topo

Andrés explica acordo com BMG e diz que Timão adiantou verba de 2020

26/01/2019 22h19

Presidente do Corinthians, Andrés Sanchez concedeu entrevista coletiva na noite deste sábado, após a vitória do Timão sobre a Ponte Preta na Arena, para dar detalhes do contrato de patrocínio com o banco BMG, motivo de polêmica nesta semana. Andrés confirmou o valor de R$ 12 milhões anuais pela exposição da marca na camisa e disse que o clube já adiantou esse valor que receberia ano que vem. No ato da assinatura de contrato, o Corinthians recebeu R$ 30 milhões do BMG.

- Pegamos R$ 12 milhões desse ano, R$ 12 milhões do ano que vem e prevendo que terá lucro, pegamos mais R$ 6 milhões. Ano que vem, vem aquilo do lucro, de 50% para o Corinthians - afirmou o presidente.

A parte do lucro possível a que o presidente se referiu faz parte do contrato do Corinthians com o BMG. O banco irá criar o banco digital "Meu BMG Corinthians", e o Timão terá direito a 50% do lucro dessa plataforma. O valor dependerá da adesão de pessoas. Portanto, não é possível calcular quanto será, mas o presidente confia na participação da torcida corintiana.

- Tem de esquecer isso de contrato só de camisa, porque hoje em dia ninguém paga mais. A Caixa está saindo do futebol. Serão outras plataformas. Facebook, digital, outras coisas. E a gente fez esse acordo, e dependendo da torcida, a gente vai lucrar mais - afirmou Andrés.

Também houve dúvida sobre o tempo de contrato do patrocínio, inicialmente divulgado como de cinco anos. No entanto, em ata divulgada em seu site nesta semana, o BMG informou que pode "ser negociada condição comercial para prazo inferior".

- Como é um projeto novo, no futebol quando se inova todo mundo fica assustado, temos esse ano e o outro para avaliar. Aí sentamos para ver como melhorar. Tem tudo para dar certo - afirmou Andrés.

Esporte