PUBLICIDADE
Topo

A vez da garotada? Com 'bênção' de Marcelinho, Capital-DF tenta surpreender veteranos do Candangão

26/01/2019 07h40

O Campeonato Candango não se resumirá a um desfile de jogadores veteranos e badalados. De volta à elite nesta temporada, o Capital depositará suas fichas em um elenco bem jovem, com média de idade em torno de 24 anos.

- Isso é uma premissa do clube. A gente acredita no potencial de Brasília, quer valorizar o sonho dos jogadores da capital. Por isto, escolhemos os atletas a dedo, tanto aqui de Brasília, quanto contratando jogadores com passagem nas categorias de base de outros estados, como Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo... - afirmou o mandatário Godofredo Gonçalves, ao LANCE!.

A Coruja estendeu sua confiança na jovialidade à beira de campo. Após conduzir a equipe à elite como campeã, Hugo Almeida, de 24 anos, sabe que terá um desafio de gente grande no Candangão:

- É, minha idade gera desconfiança no meio esportivo. Acho que nunca vi um treinador assim tão jovem como eu. Mas, ao mesmo tempo, já tenho uma experiência. Estou no Capital desde 2017, comandei a equipe que subiu invicta no ano passado (para a elite brasiliense).

O treinador é mais jovem do que o "veterano" da equipe, que é localizada em Guará, região administrativa de Brasília. Paulinho está com 27 anos. Já o mais novo do elenco é Wesley, que tem 18 anos.

O treinador acredita que uma boa campanha no Candangão deixará de lado a desconfiança sobre a equipe:

- À medida que a gente vai crescendo, é natural que a pressão cresça. Temos de mostrar em campo que a gente tem capacidade de lutar contra os times de maior apelo. Porque, embora a gente tenha uma média de idade de 24 anos, nossa equipe tem se mostrado bastante amadurecida.

Honrando o fato de ser um time bem jovem, o Capital é impetuoso quanto a seus planos para a competição:

- A gente montou uma equipe e uma estrutura para brigar pelo título. Mostramos em amistosos que fizemos, inclusive contra o Goiás, o quanto a gente está capacitado para a disputa do Candangão - garantiu o presidente Godofredo Gonçalves.

MARCELINHO: 'PÉ DE ANJO' DÁ VISIBILIDADE AO CLUBE E É CRUCIAL NA BASE

O único "reforço renomado" do Capital vem de fora das quatro linhas. Marcelinho Carioca é diretor de relações institucionais e coordenador das categorias de base do clube. O nome do "Pé de Anjo" tem contribuído em várias áreas do clube:

- Tem sido muito bom. Com o conhecimento que o Marcelinho tem, ele sabe indicar qual é o jogador que tem um toque de bola diferente. Além disto, dá palestras motivacionais para jogadores da base - revelou o mandatário do Corujão do Guará.

O ex-camisa 7 contou como surgiu sua ligação com o Capital:

- O Godofredo (Gonçalves) pediu minha imagem para dar visibilidade ao clube, em especial em uma "peneira" que ia ser feita com 2,5 mil jovens. Foi um sucesso. Acabei ajudando, ensinei os garotos a cobrar falta. Eu me senti meio "paizão'.

As relações entre o Marcelinho e a Coruja se estenderam graças a um projeto social em comum. O clube busca conscientizar os atletas a terem um diploma:

- Fiquei muito feliz de fazer parte deste projeto social do Capital. Tendo passar meu exemplo para eles nas palestras motivacionais que faço. Digo o meu exemplo como jogador e conto que, depois do futebol, me formei em Comunicação - diz o "Pé de Anjo", que hoje apresenta um programa, curiosamente, na Rádio Capital, em São Paulo.

No entanto, foi nos profissionais do Capital que Marcelinho teve um "reencontro" bem especial. Seu filho, o lateral Matheus Surcin, faz parte do elenco que é comandado por Hugo Almeida.

- Rapaz, isso é um negócio muito gratificante. Passo para ele sempre os meus conselhos, de que ele busque o máximo no futebol e depois estude, de que seja feliz.

Lateral com passagens pelas categorias de base do Corinthians e pelo Bangu, Surcin conta como vem sendo o trabalho com o pai:

- Ah, tem sido uma experiência bacana. Os puxões de orelha continuam os mesmos, é claro. Mas ele me passa os conselhos para ter a cabeça boa, tranquilidade e transmite para a gente tudo o que já viveu.

O "Pé de Anjo" descartou, inicialmente, a possibilidade de uma volta aos gramados. Porém, contou que chegou a ser cogitada a chance de vestir a camisa do Capital:

- O presidente (Godofredo Gonçalves) me falou que eu só ia entrar para bater falta. Para deixar que o resto dos jogadores corria por mim. Mas acho que não dá mais para mim, né? Já estou com 46 anos e estou muito focado na Comunicação.

EM MEIO À DUPLA JORNADA, TÉCNICO É ACONSELHADO POR MARCELINHO

Comandar o Capital promete ser um desafio e tanto para Hugo Almeida. No seu primeiro trabalho na elite estadual, o técnico de 24 anos terá de lidar com uma rotina cansativa:

- Eu não sou apenas treinador no momento. Sou formado em Educação Física e trabalho com Academia e Consultoria Esportiva. Fico no clube das 10h às 18h. No restante do dia, fico por conta de consultorias e de prescrição de exercícios, além de eu ter uma aula de inglês.

Formado em Educação Física e com Pós-Graduação em Fisiculturismo, o técnico tem em seu Marcelinho Carioca um conselheiro para seus primeiros passos no Candangão:

- A minha relação com o Marcelinho é ótima. Ele tem um conhecimento muito grande do futebol, já passou por grandes clubes. Passa a experiência dele, conselhos de como lidar com dirigentes e torcedores. É muito enriquecedor conversar com ele. É uma pessoa muito humilde, carismática.

O treinador contou quais aspectos são valorizados pelo ex-meia:

- Ah, muito a questão de não perder a humildade. De a gente procurar ser carismático, ter uma postura boa e que isto passa até mesmo pela forma da gente se vestir e falar.

O "Pé de Anjo" exalta a postura do jovem comandante do Capital:

- O Hugo (Almeida) é um rapaz muito inteligente, tem pós-graduação. E sempre me liga pedindo conselho sobre uma formação, faço questão de ajudar, de orientar sempre.

CANDANGÃO: CONFIANÇA EM JOVENS 'EXPERIENTES'

Nem mesmo a baixa média de idade é capaz de intimidar os jovens do Capital. Segundo Matheus Surcin, o elenco já tem uma trajetória considerável:

- O time é novo apenas na faixa de idade. Foram contratados reforços experientes, que passaram por mais de um clube, inclusive de ponta. Eu já joguei no Corinthians, em clubes paulistas, no profissional do Bangu...

Mandatário da Coruja, Godofredo Gonçalves contou qual foi o perfil buscado para o Estadual:

- Nós queríamos jovens atletas que tivessem qualidade. E os jogadores estão com sangue nos olhos, com muita vontade de demonstrar sua força em campo.

Prestes ao Capital encarar o Sobradinho, neste domingo, às 11h, em sua estreia no Estadual, Hugo Almeida garante que a equipe lutará para desbancar o atual campeão:

- Nossa equipe está bastante motivada. Preparada tecnicamente e fisicamente, com 100% dos jogadores e lutará muito. Sabemos que teremos pela frente o atual campeão de Brasília, mas não vai faltar dedicação.

A garotada do Capital esbanja fôlego para escrever seu nome na história do Candangão.

Esporte