PUBLICIDADE
Topo

Tetra da garoa! Com chuva e emoção, São Paulo conquista a Copinha 2019

25/01/2019 17h57

O São Paulo comemorou seu 89º aniversário com a conquista do tetracampeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Na tarde desta sexta-feira, os carecas do Tricolor passaram por um sufoco no tempo normal, quando venciam, por 2 a 0, e cederam empate por 2 a 2 - em segundo tempo com muita chuva. Na cobrança dos pênaltis, no entanto, brilhou a estrela do goleiro Thiago Couto, que pegou dois pênaltis: no fim, 3 x 1 para o Tricolor. A taça ficou na cidade de São Paulo, que nesta sexta-feira também está em aniversário: a Terra da Garoa completou 465 anos de história.

Apoiado por mais de 37 mil torcedores, o São Paulo fez um jogo extremamente equilibrado com o Cruz-maltino. O Tricolor, que deu a entender que seria campeão no tempo normal, sofreu um duro golpe no fim do segundo tempo, mas teve força para garantir o título nos pênaltis. O São Paulo volta a levar a Copinha após títulos em 1993, 2000 e 2010. O Vasco, campeão em 1992, ficou com o seu segundo vice-campeonato, repetindo colocação de 1999.

Marca registrada

O São Paulo chegou à decisão da Copinha tendo Antony e Gabriel Novaes como dois de seus principais destaques na competição. Contra o Vasco, a dupla se mostrou afiada e foi protagonista do primeiro gol tricolor na partida. O meia-atacante Antony, jogador do profissional emprestado para esta competição, avançou pela direita e cruzou na medida para Gabriel Novaes testar forte para o fundo da rede. Foi a sexta assistência do camisa 7 na Copinha, todas para Novaes, o artilheiro da competição com 10 gols.

Tempestade nada boa para o Vasco

O segundo tempo da final da Copinha foi disputado com muita chuva no Pacaembu. Caiu uma tempestade na capital paulista durante a tarde desta sexta. O clima atrapalhou o andamento da partida, sobretudo para a defesa do Vasco, que estava posicionada contra o vento, o que dificultou os lançamentos.

Desperdício cruz-maltino

Em desvantagem no marcador, o Vasco passou a ter uma postura mais agressiva no segundo tempo. O Cruz-maltino passou a utilizar seus pontas e, em 15 minutos, teve três excelentes oportunidades. Na sequência, Linnick, Caio Lopes e Tiago Reis desperdiçaram as chances criadas, que poderiam ter sido determinantes para um resultado diferente no Pacaembu.

Bota para correr

A confirmação do tetracampeonato do São Paulo veio na velocidade do meia-atacante Antony. No início do segundo tempo, Rodrigo Nestor recebeu a bola no meio de campo e achou um corredor na defesa do Vasco. O garoto colocou na medida para Antony disparar, dominar a bola, chamar o zagueiro para dançar e soltar o pé para o Tricolor fazer o segundo.

Esperança vascaína

O Vasco, que não teve uma atuação brilhante no primeiro tempo, foi superior no segundo. Depois de perder os três gols, o time do Rio de Janeiro chegou a ensaiar uma reação no Pacaembu. Em cobrança de falta, o camisa 10 Lucas Santos calibrou bem o pé para fazer um golaço. A bola ainda bateu no travessão antes de estufar a rede.

No fim, o Vasco foi para o tudo ou nada, ganhou o apoio de sua torcida que se fez ouvir no estádio, e conseguiu o empate nos minutos finais. Em uma desatenção da zaga tricolor, Tiago Reis recebeu completamente livre de marcação na pequena área, dominou no peito e empatou a partida.

Pênaltis

Com o empate no tempo normal, em 2 a 2, o clima era todo favorável ao Vasco nas cobranças de pênaltis. Os garotos de São Januário, no entanto, não contavam com a tarde inspirada do goleiro Thiago Couto, que defendeu as cobranças de Riquelme e Tiago Reis, e ainda contou com o erro de Gabriel Norões. Pelo lado tricolor, Tuta, Morato e Ed Carlos fizeram os gols que garantiu o tetra ao São Paulo.

Homenagem a Larissa

Ao longo da campanha do São Paulo na Copinha, o elenco tricolor se aproximou da pequena Larissa, de apenas seis anos. A torcedora, diagnosticada com um câncer no cérebro, costuma visitar os jogadores do time profissional no CT da Barra Funda e se tornou amiga também do time sub-20.

Em forma de homenagem, todos os jogadores do São Paulo entraram em campo com as cabeças raspadas, assim como Larissa que faz tratamento de quimioterapia. A garota, inclusive, entrou em campo de mãos dadas com o meia-atacante Antony, que já havia feito um gol para a pequena nesta Copinha.

Título volta para São Paulo

Derrotado para o Flamengo na decisão na Copinha de 2018, o Tricolor trouxe a taça de volta para o estado de São Paulo. Agora, os paulistas somam 30 títulos (Corinthians, com dez; Santos, com três; Ponte Preta, Nacional e Portuguesa, com dois cada; Juventus, Guarani, América, Paulista, Marília, Santo André, Roma Barueri, com um cada). O Rio de Janeiro é o segundo maior vencedor, com dez taças, seguido por Minas Gerais (cinco), Rio Grande do Sul (quatro) e Santa Catarina (um). A Copa São Paulo 2019 foi a edição de número 50 do torneio.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 (3) X (1) 2 VASCO

Estádio: Pacaembu, em São Paulo (SÃO)

Data: 25 de janeiro, às 15h30

Árbitro: Douglas Marques das Flores

Assistentes: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Fabrini Bevilaqua Costa

Renda/Público: R$ 874.000,00/37.316 presentes

Cartões amarelos: Wellington, Diego (SÃO); Coutinho, Ulisses (VAS)

Cartão vermelho: não houve

GOLS: Gabriel Novaes (1-0, 38'/1ºT), Anthony (2-0, 7'/2ºT), Lucas Santos (2-1, 30'/2ºT), Tiago Reis (2-2, 38'/2ºT).

DISPUTA DE PÊNALTIS: Ed Carlos (1-0), Lucas Santos (1-1), Morato (2-1), Tiago Reis (errou), Tuta (3-1), Gabriel Norões (errou), Marcos Jr (errou), Riquelme (errou)

SÃO PAULO: Thiago Couto; Caio, Tuta, Morato, Wellington; Diego, Rodrigo Nestor (Vitinho 24'/2ºT); Fabinho (Weverson 24'/2ºT), Paulinho (Marcos Jr 19'/2ºT), Antony (Ed Carlos 32'/2ºT); Gabriel Novaes (Sena 32'/2ºT). Técnico: Orlando Ribeiro.

VASCO: Alexander; Cayo Tenório, Ulisses, Gabriel Norões, Coutinho (Riquelme 15'/2ºT); Bruno Gomes (Laranjeira 15'/2ºT), Caio Lopes, Linnick (Alexandre Melo 22'/2ºT); João Pedro (Talles 22'/2ºT), Lucas Santos, Tiago Reis. Técnico: Marcos Valadares.

Esporte