PUBLICIDADE
Topo

Tite e a pressão sobre Brasil na Copa América: 'Obrigado a ter grande desempenho'

24/01/2019 22h44

Após o sorteio da Copa América 2019 - que colocou a Seleção Brasileira no Grupo A - ao lado de Bolívia, Venezuela e Peru -, o técnico Tite evitou fazer maiores análises sobre os adversários. O treinador explicou que os times, normalmente, passam por uma reciclagem após o término de um Mundial, contudo, admitiu que, em teoria, o Brasil terá dois rivais de nível técnico inferior.

- Ainda vamos buscar essas informações mais específicas (dos adversários). Com Eliminatórias e Mundial encerrados, normalmente há uma reciclagem das equipes, como também há no Brasil. Novos nomes surgem - afirmou Tite, após a cerimônia realizada no Rio de Janeiro, antes de completar:

- É claro que Bolívia e Venezuela não estão bem ranqueadas. Terminaram em 9º e 10º. Isso, teoricamente, diz que não têm o mesmo nível técnico do Peru. Mas isso não quer dizer que, em campo, vamos encontrar uma facilidade maior.

O Brasil estreia na Copa América 2019 no dia 14 de junho, às 21h30, diante da Bolívia. A partida de abertura da competição será no Estádio do Morumbi.

A Seleção do técnico Tite fará o segundo jogo da fase de grupos contra a Venezuela, na Arena Fonte Nova, no dia 18, no mesmo horário, e fecha a primeira fase contra o Peru, na Arena Corinthians, no dia 22, às 16h. Caso classifique como líder do grupo, fará as quartas de final na Arena do Grêmio, no dia 27. Caso passe em segundo, entrará em campo no Maracanã, dia 28.

Quanto a expectativa pelo título e as cobranças sobre a sua equipe na Copa América, Tite descartou que o Brasil tenha a obrigação de ser campeão.

- Obrigado a ter grande desempenho. Olho para trás e tenho 14 títulos. Tenho obrigação de ser um cara digno, correto e transparante, e competente e de buscar estilos diferentes. Essas obrigações eu tenho. De resultado, não - disse.

LESÃO DE NEYMAR: "CLARO QUE PREOCUPA'

A condição de Neymar, craque da Seleção Brasileira, preocupa o técnico Tite. O comandante, contudo, pregou cautela, disse que a lesão ainda é muito recente - o atacante deixou o jogo do Paris Saint-Germain, da França, na última quarta - e espera receber uma avaliação médica mais profunda nos próximos dias.

- Claro que me preocupa pela grandeza do Neymar, pela saúde do atleta, pela forma com que foi. Acompanhei com vocês e tenho as mesmas informações - afirmou o treinador, que viajará no sábado, para Europa, para acompanhar de perto os atletas brasileiros do Liverpool, Barcelona e Real Madrid, por exemplo.

A 46ª edição da Copa América retorna ao Brasil depois de 30 anos. O país já recebeu o torneio outras quatro vezes (em 1919, 1922, 1949 e 1989). Realizada entre os dias 14 de junho e 7 de julho, o torneio de seleções terá cinco cidades-sede: Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Além dos dez países sul-americanos membros da Conmebol (Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela), as seleções do Japão e do Catar participam como convidadas da Copa em 2019.

A seleção chilena é a atual bicampeã do torneio (2015 e 2016) e a uruguaia é a maior vencedora, com 15 títulos. A Seleção Brasileira, por sua vez, conquistou a Copa oito vezes - a última delas foi em 2007, na Venezuela, sobre a Argentina.

Esporte