Topo

Dupla conduz Vasco à final após se acidentar em tragédia com ônibus

Rafael Ribeiro / Vasco.com.br
Caio Lopes e Bruno Gomes: dupla de volantes de destaque do Vasco na Copinha Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco.com.br
do UOL

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

24/01/2019 04h00

A tarde do dia 17 de maio de 2017 será inesquecível para Caio Lopes e Bruno Gomes, volantes que estão entre os destaques do finalista Vasco da Gama na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Integrantes da equipe sub-17 do Cruzmaltino na ocasião, eles ficaram entre os feridos de maior gravidade no tombamento do ônibus que trazia a delegação de Friburgo, na Região Serrana do Rio de Janeiro, de volta à capital carioca após uma partida contra o Friburguense pelo Campeonato Carioca da categoria.

Caio Lopes teve ferimentos no joelho e no tornozelo e precisou passar por uma cirurgia de enxerto que o deixou internado por duas semanas no hospital. Por isso, foi o último a retornar aos gramados, somente após 80 dias.

Bruno Gomes teve suspeita de TCE (traumatismo crânio encefálico), passou por tomografias e precisou ficar em observação em um hospital em São Gonçalo (RJ).

Além da dupla de volantes da Copinha, o atacante reserva Vinícius sofreu um corte na cabeça e foi suturado. No total, nove pessoas ficaram feridas, sendo sete jogadores, um membro da comissão técnica e uma assessora de imprensa. Todos voltaram aos poucos às suas atividades.

"Estávamos voltando de um jogo e, infelizmente, o motorista perdeu o controle, e o ônibus tombou. Fui um dos que mais ficou prejudicado, mas o clube me deu todo o apoio, acompanhou minha recuperação", declarou, Caio Lopes ao UOL Esporte, revelando que não se lembra muito bem do momento do acidente.

"Eu estava dormindo, não lembro muito bem do que aconteceu. Quando acordei, estava com os bombeiros me levando para o hospital. Eu sabia que tinha tido um acidente, mas não tinha noção da gravidade", lembrou.

UOL Esporte
Ônibus do Vasco tombou em estrada que liga o Rio de Janeiro a Nova Friburgo Imagem: UOL Esporte

Para o jovem, enfrentar todos estes obstáculos e poder realizar o sonho de disputar uma final de Copa São Paulo dois anos depois faz passar um filme em sua cabeça.

"É uma oportunidade única. Claro que passa um filme por tudo o que eu venho sonhando desde menor. O Vasco foi um clube que me abriu as portas. Poder estar ajudando a chegar em uma final da Copinha, algo que não acontecia desde 1999, me deixa muito orgulhoso", destacou.

Entrosamento com Bruno Gomes e liberdade para atacar

Quem acompanhou os jogos do Vasco na Copinha percebeu que, mesmo jogando como volantes, Caio Lopes e Bruno Gomes surpreendem com o entrosamento e, vez por outra, se arriscando ao ataque. De acordo com Caio, tudo é muito bem treinado e autorizado pelo técnico Marcos Valadares.

"Nosso time tem um jogo mais posicional. Nós procuramos sempre estar bem posicionados. O Bruno joga um pouco mais recuado e fica responsável mais pela saída de bola, mas o professor Marquinhos nos dá a liberdade para atacar desde que façamos isso de maneira organizada", ressaltou o jovem, que revelou que passou a avançar mais recentemente:

"Na verdade desde sempre joguei mais recuado, fazendo a função de primeiro volante, mas o Marquinhos me adiantou, foi me dando liberdade para chegar ao ataque. Fui desenvolvendo isso com o tempo, é uma posição nova para mim, mas eu consegui me adaptar", contou.

Mais Esporte