PUBLICIDADE
Topo

Vaiado, Botafogo volta a decepcionar e empata com o Bangu no Niltão

23/01/2019 21h23

Depois da derrota na estreia, o botafoguense esperava uma redenção na primeira partida do clube no Nilton Santos em 2019. Nada feito. O Botafogo voltou a decepcionar e a jogar mal, desta vez diante do Bangu, pela segunda rodada da Taça Guanabara, na noite desta quarta-feira. As equipes ficaram no 0 a 0, sendo que os visitantes, com um jogador mais nos minutos finais, já que Gilson foi expulso, pressionaram e estiveram mais perto da vitória.

Agora, o Botafogo terá o clássico diante do Flamengo pela frente, já neste sábado, de novo no Niltão. Já Bangu recebe o Boavista, no mesmo dia. Ambos possuem um ponto somado no Grupo C.

DESERTO DE IDEIAS

Pouco público, quase 40ºC no termômetro e dois times com a necessidade de apagar as respectivas estreias ruins. O que deu dessa miscelânea? Um início sonolento e nada empolgante, sobretudo para os mandantes, nada criativos até a parada para hidratação - e broncas.

GOLEIROS PROTAGONISTAS

Zé Ricardo alertou para a pouca agressividade na saída de bola do Bangu, que mostrou qualidade nas poucas tentativas ofensivas. E deu certo após a pausa. Erik, no lance seguinte, roubou a bola e achou Luiz Fernando, de frente para o goleiro; Jefferson salvou. Pouco depois, foi a vez dos visitantes criarem perigo: Gatito teve que usar o pé para evitar o gol de Pingo. Tudo igual para o intervalo.

'SOLTA O ZÉ GATINHA...'

Com o apito findando a etapa inicial, a torcida, impaciente e nada satisfeita com o que via, pediu a entrada de Alessandro, o já popular Zé Gatinha (apelido que o clube gentilmente pede para ser evitado, ao menos para a imprensa).

O FOLCLORE VIROU REALIDADE

Alvo de muitas brincadeiras nas redes sociais pelo apelido, Alessandro era uma incógnita para o torcedor, que sequer sabia se o meia seria utilizado. E Zé Ricardo, sem ver o cenário melhorar, optou pelo "xará", levando a torcida ao delírio. No entanto, Alessandro mostrou estar fora de forma e sintonia com o restante dos companheiros.

DESABAFOS NO FIM

O fim de jogo se caminhava, e o Botafogo não externava poder de fogo. Pelo contrário, o Bangu é quem passou a ganhar território, inclusive voltando a ameaçar Gatito, que permaneceu seguro para garantir, ao menos, um ponto. Nas arquibancadas, os poucos mais de 2 mil torcedores pediram "jogador" e gritaram "time sem vergonha". E quase piorou: Gilson foi expulso quando o Bangu pressionava - por muito pouco não voltou para casa com a vitória.

FICHA TÉCNICA

?BOTAFOGO 0X0 BANGU

?Estádio: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Data/hora: 23/1/2019 - 19h15 (de Brasília)

Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)

Assistentes: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Gabriel Conti Viana (RJ)

Público/renda: 2.449 pagantes e 2.905 presentes/ R$ 74.466,00

Cartões amarelos: Marcelo Benevenuto, Aguirre e Gilson (BOT); Josiel (BAN)

Cartões vermelhos: Gilson (BOT)

Gols: -

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Marcinho, Marcelo Benevenuto, Gabriel e Gilson; Wenderson (Leandro Carvalho, 29'/2ºT), Alex Santana (Bochecha, 17'/2ºT) e Luiz Fernando; Erik, Rodrigo Pimpão (Alessandro, 19'/2ºT) e Aguirre. Técnico: Zé Ricardo.

BANGU: Jefferson Paulino; Kelvin, Michel, Anderson Penna e Dieyson; Josiel, Serginho (Felipe Adão, 28'/2ºT), Marcos Júnior e Robinho (Jairinho, 33'/2ºT); Anderson Lessa e Pingo (Yaya Banhoro, 14'/2ºT). Técnico: Alfredo Sampaio.

Esporte