PUBLICIDADE
Topo

'Tu-Tu'! Após 49 anos, elite mineira traz no cardápio clássico saboroso

23/01/2019 07h10

O cardápio do Campeonato Mineiro abrirá espaço, nesta quarta-feira, às 20h, para uma saborosa rivalidade. Tupynambás e Tupi voltam a protagonizar o clássico "Tu-Tu" após 49 anos de jejum na elite. Prestes a se enfrentarem no Estádio Radialista Mário Helênio, as duas equipes mostram o quanto o gostinho de expectativa pelo embate de Juiz de Fora sobreviveu ao tempo.

AOS 44 ANOS E NO BAETA ADEMILSON VAI PROVAR SEU PRIMEIRO 'TU-TU'

O desejo de provar seu primeiro "Tu-Tu" da carreira não passa em branco nem por quem já está há muito tempo nos gramados. Aos 44 anos, com passagens por Fluminense, Botafogo, Paysandu e tendo em seu currículo o título da Série D de 2011 pelo Tupi, Ademilson agora vai experimentar outro sabor no Estádio Radialista Mário Helênio.

Ele é a esperança de gols do Tupynambás, que voltou à elite mineira neste ano. Ao LANCE!, o atacante contou como está sua expectativa para o confronto:

- Clássico é sempre assim, aquela ansiedade. Sei como é um pouco o outro lado, por tantos anos que joguei no Tupi. Tento passar para os meus companheiros quais são os desafios que a gente vai enfrentar. Sei o quanto é a pressão da torcida do Tupi e, por onde passei, sei as rivalidades são sempre acirradas.

O "AdeMito" foi autor de dois gols na goleada por 5 a 1 do Baeta sobre o Villa Nova, em pleno Castor Cifuentes. Mas, aos seus olhos, o placar dilatado não deve iludir a equipe para o "Tu-Tu" desta quarta-feira:

- A responsabilidade existe a cada jogo. A gente tem de saber a dificuldade das partidas e seguir forte no Campeonato Mineiro. Contamos com uma equipe experiente, que está focada e precisamos nos manter na busca por uma boa campanha.

Além de Ademilson, o Tupynambás conta em 2019 com dois meio-campistas renomados: Leandro Salino, que foi campeão estadual com Ipatinga e Flamengo, e seu irmão Léo Salino.

NO GALO CARIJÓ, JOVENS RECEBEM CONSELHOS SOBRE O 'TU-TU'

Coube a Ailton Ferraz passar ao Tupi a importância de a equipe levar a melhor no "Tu-Tu". Aos 53 anos (e sem lembranças do mais recente embate entre as equipes de Juiz de Fora), o treinador utilizou sua experiência como comandante do Galo Carijó para transmitir aos atletas a responsabilidade de levar a melhor no duelo:

- Como estou no segundo ano na cidade (Ailton Ferraz comandou o Galo Carijó também em 2017), procurei passar para eles que é um clássico de respeito. E, por isso, torna-se um jogo ainda mais difícil para nós. Disse também sobre a responsabilidade de manter uma sequência de bons resultados, de deixar a equipe forte no Campeonato Estadual.

Os carijós apostam na dupla de ataque Gabriel e Anderson Chub, além do goleiro Vilar, para obter a primeira vitória na competição. Em sua estreia no Mineiro, a equipe empatou em 1 a 1 com o Tombense.

Segundo Ailton Ferraz, o desafio para o embate é não deixar a ansiedade tomar conta da equipe no "Tu-Tu":

- O nosso time é muito jovem, a maioria nunca viveu isso (um clássico). Um clássico dá uma ansiedade, porque não é um jogo comum, é muito difícil. Temos de tirar este sentimento de ansiedade dos jogadores. Precisamos nos preparar bem e entrar bem fortes para o jogo com o Tupynambás.

Neste seu reencontro com a elite, o clássico "Tu-Tu" tem ingredientes promissores para torcedores de Juiz de Fora.

Esporte