PUBLICIDADE
Topo

De contrato renovado, Diego agora busca títulos e protagonismo no Fla

22/01/2019 17h06

De contrato renovado com o Flamengo, o meia Diego tem como principal motivação e desafio a conquista de títulos de expressão para colocar, de uma vez, seu nome na história do clube. Aos 33 anos, o camisa 10 teve ofertas para deixar o time da Gávea em julho, ao fim de seu vínculo, mas preferiu ficar no Rio de Janeiro, assinando a prorrogação do contrato até dezembro de 2020.

- A renovação passa pelo desejo de ser campeão, de vencer. A equipe está muito bem preparada. Foram contratações contundentes, de alto nível - afirmou o meia após o anúncio da renovação, nesta terça, antes de seguir:

- Meu grande sonho é ser campeão de um título que preencha o coração dos torcedores. Eu me imagino feliz, emocionado, compartilhando. É o que eu quero. Agora, a ideia é ir subindo os degraus de forma humilde, com trabalho.

Um dos grandes nomes trazidos pela gestão de Eduardo Bandeira de Mello, Diego chegou à Gávea em julho de 2016. De lá para cá, o clube conquistou o Campeonato Carioca em 2017, o 34º título estadual da história rubro-negra.

Em 2017, na Copa do Brasil e Sul-Americana, e no Campeonato Brasileiro de 2018, o Flamengo "bateu na trave" e ficou com os vice-campeonatos. São 35 gols em 122 jogos de Diego com a camisa rubro-negra.

Como os títulos não foram alcançados, Diego, como um dos líderes do elenco, já sofreu com as críticas em alguns momentos de sua passagem pela Gávea.

Em especial, por não se destacar nas partidas decisivas. Contra o Cruzeiro, na decisão da Copa do Brasil, em 2017, o camisa perdeu um dos pênaltis. Outrora, desfalcou o time em jogos importantes das últimas edições da Libertadores.

- Coração cheio de alegria e satisfação de continuar. Alguns momentos foram difíceis. Tive algumas propostas, como a do Orlando City. Me fez refletir. Qualquer decisão eu deveria ter razão para decidir. Com a emoção, pesou o Flamengo. Vontade de vencer é enorme. Sempre respeitei o Flamengo.

Desta forma, nos próximos 18 meses, também será cobrado o protagonismo do camisa 10 com passagens pela Juventus, da Itália, Werder Bremen, da Alemanha, e Atlético de Madrid, da Espanha, além de Seleção Brasileira.

As negociações entre Diego e Fla pela renovação começaram em dezembro, após a eleição do presidente Landim. Em janeiro, porém, o interesse do Orlando City no camisa 10 deixou a conversa com o clube da Gávea paralisada.

O clube americano ofereceu três anos de contrato ao meia, que gostou do projeto e levou à frente as tratativas. Porém, com a indefinição do meia, o Orlando City retirou-se da negociação e deixou o caminho livre para o Fla.

- A conclusão que eu chego é que ainda falta algo a mais que eu ainda possa fazer pelo meu clube. O sentimento foi de a história não terminou. Me posicionei, porque houve outras propostas. A do Orlando era sólida e a longo prazo. Mas a minha relação com o Flamengo é muito forte. Quando me imaginava saindo, não conseguia digerir. Lógico que o desafio me motiva.

Esporte