PUBLICIDADE
Topo

Técnico do Náutico cita "falta de intensidade" na derrota para o Central

21/01/2019 16h48

Falta de intensidade. Essa foi a ideia mais forte que o técnico do Náutico, Márcio Goiano, passou em entrevista coletiva logo depois da derrota na estreia do Campeonato Pernambucano frente ao Central no último sábado (19) em Caruaru.

Márcio chegou a mencionar aspectos além do pouco tempo de preparação como possíveis motivadores do desempenho sem o ritmo desejado. Falando que até mesmo na derrota por 3 a 1 para o Fortaleza, na Copa do Nordeste, a equipe foi mais intensa:

- Se eu for analisar, a intensidade do jogo do Fortaleza (derrota de 3 a 1 pela Copa do Nordeste) foi melhor. Se a gente for analisar isso, não houve intensidade. Até porque, como nós tomamos o primeiro gol até saímos, mas não conseguimos a recomposição rápida. Nosso ritmo foi menor. A intensidade baixa, o volume baixa. De repente foi o sol, o gramado alto, mas não conseguimos acelerar.

O treinador do Timbu também pontuou que o fato de não ter eficiência ao controlar o ritmo do jogo tendo mais posse de bola e sofrendo nos contra-ataques:

- A gente sabia da importância do Pernambucano em função de dois times que chegaram na final do ano passado. A gente sabia das dificuldades que iríamos encontrar. Não fomos bem no primeiro tempo. Estava quente, o gramado estava alto e não aceleramos o jogo. No jogo contra o Fortaleza, aceleramos mais e hoje tentamos controlar nesse sentido. No momento que a gente atacava com Hereda e Thiago, não chegamos e eles fizeram no contra-ataque.

O próximo desafio do Náutico na temporada será na próxima terça-feira (22) às 22h30 (horário de Brasília) frente ao Sergipe em Aracaju pela segunda rodada do Nordestão.

Esporte